ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Marina diz que Rede não abre mão de candidatura própria ao Planalto

Ex-ministra e presidenciável desconversa sobre aliança com PSB e afirma que partido já tomou decisão: 'Estaremos concorrendo à Presidência'

Marcelo Osakabe, Estadao Conteudo

18 de abril de 2018 | 16h26

A pré-candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, voltou a desconversar sobre uma possível aliança com o PSB, do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa. Em entrevista à Rádio Bandeirantes nesta quarta-feira, 18, a ex-ministra disse que é preciso respeitar o processo interno de decisão de cada sigla e lembrou que o PSB ainda não decidiu se vai ou não lançar candidato ao cargo.

+ 'Saúdo a decisão dele de entrar na política', diz Marina sobre Barbosa

+ Presidente do PSB sugere que partido não tem interesse em aliança com Marina Silva

"Nós, da Rede, já tomamos essa decisão de preservar o legado que vem trabalhando desde 2010. Já decidimos até no Congresso que estaremos concorrendo à Presidência", salientou a presidenciável, que recebeu cerca de 20 milhões de votos nas últimas duas eleições ao Planalto. "Isto não impede a relação de diálogo e respeito que se precisa ter, até porque o PSB ainda decide se terá ou não candidatura própria", acrescentou.

+ PSB quer candidatura de Barbosa até o dia 15

Marina é, junto com Ciro Gomes (PDT), uma das principais beneficiadas eleitoralmente com a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. A filiação do ex-ministro do Supremo ao PSB e sua boa pontuação no último levantamento do Instituto Datafolha, por outro lado, fez crescerem as especulações de que as candidaturas pudessem se fundir em algum momento do processo eleitoral.

+ Bolsonaro questiona patamar de votos de Marina e Lula em pesquisa

Também hoje, em Brasília, o presidente nacional do PSB, Carlos Siqueira, indicou que o partido não tem interesse em uma aliança eleitoral com a Rede. O dirigente afirmou que é preciso respeitar a pré-candidatura de Marina da mesma forma como o partido que preside tenta viabilizar a pré-candidatura de Barbosa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.