GUILHERME FERRARI/GAZETA DE VITORIA
GUILHERME FERRARI/GAZETA DE VITORIA

Marina vê concorrentes ‘apavorados’ na disputa

Candidata do PSB declarou, em contrapartida, que sua campanha está em movimento comparável a uma ‘pororoca de esperança’

Natalia Devens , ESPECIAL PARA O ESTADO

18 de setembro de 2014 | 22h00

VITÓRIA (ES) - A presidenciável pelo PSB, Marina Silva, afirmou nesta quinta-feira, 18, que seus adversários na disputa ao Palácio do Planalto, Aécio Neves (PSDB) e Dilma Rousseff, (PT), estão “desesperados” e “apavorados” com a possibilidade de perder as eleições. Segundo pesquisa eleitoral realizada esta semana pelo Ibope, Marina, em segundo lugar, tem 30% das intenções de voto, contra 36% de Dilma e 19% de Aécio. 

“Nossos adversários estão apavorados, desesperados, inclusive os cabos eleitorais da Dilma, com a possibilidade que o povo está demonstrando de fazê-los perder. Nós estamos felizes e animados com um movimento verde e amarelo numa verdadeira pororoca de esperança para ganhar a Presidência do Brasil. Essa é a diferença do nosso projeto”, disse a candidata, em visita a Vitória. 


A ex-ministra do Meio Ambiente comentou os dados divulgados pelo IBGE da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD), que constatou que a desigualdade parou de cair no País, mantendo-se no mesmo nível desde 2011. 

“Agora nós temos essa triste realidade de um Brasil que vinha em um processo de distribuição de renda e está voltando à reconcentração. Não estamos mais no processo de redução das desigualdades sociais. Há um problema grande de reconcentração de renda. Os 10% mais ricos estão ficando cada vez mais ricos, e os 10% mais pobres estão ficando cada vez mais pobres.”

Reação. Marina também comentou a fala do senador José Sarney (PMDB-AP), que declarou nesta quarta-feira que a candidata “tem cara de santinha, mas é radical, raivosa e com vontade de ódio”. Marina frisou que não iria polemizar porque não participa da “velha política”, que tenta fugir dos problemas com “ofensas pessoais”.

Questionada sobre a provocação do candidato Aécio Neves, que afirmou que ela seria capaz de entregar um plano de governo feito à caneta, a ex-ministra criticou os dois principais adversários por ainda não terem apresentado os programas, a 18 dias do pleito. “Nós temos um plano de governo que foi feito em parceria da sociedade, com a participação de 6 mil pessoas. Quem acha que vai fazer um plano de governo sozinho é a velha política. Gostaria muito de conhecer o que Dilma e Aécio irão fazer para resolver os problemas do Brasil”, ressaltou.

Tudo o que sabemos sobre:
EleiçõesMarina Silva

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.