Marina desconhece promessa de Campos de reforma tributária

Ex-ministra disse que não tomou conhecimento da proposta feita pelo ex-candidato do PSB de apresentar um texto sobre reforma tributária antes do primeiro turno

Ana Fernandes, Edgar Maciel e Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

16 de setembro de 2014 | 13h49

Atualizada às 21h42

Candidata do PSB, Marina Silva disse nesta terça-feira, 16, desconhecer um compromisso assumido publicamente por Eduardo Campos nesta campanha em relação à reforma tributária. Vinte e três dias antes do acidente aéreo que o matou, o então cabeça de chapa prometera apresentar uma proposta detalhada sobre o tema ainda no 1.º turno.

O episódio ocorreu em 22 de julho, após evento em Limeira, no interior paulista: “Antes das eleições, vou apresentar o texto-base do debate com a sociedade, para que a gente possa, tão logo assumindo, mandar ao Congresso Nacional a reforma tributária tão falada”, declarou Campos, que tentava ganhar espaço entre o empresariado diante do desgaste da presidente Dilma Rousseff. A ideia, disse Campos, era apresentar o esboço de uma Proposta de Emenda Constitucional.

Após participar nesta terça de um evento com empresários em São Paulo no qual a discussão foi justamente sobre a reforma tributária, Marina foi questionada sobre a promessa do aliado. “Eduardo Campos assumiu o compromisso de enviar (a reforma tributária) para o Congresso no primeiro mês do seu governo. Nunca tive conhecimento de que ele iria mandar antes do 1.º turno”, disse a candidata. 

Ouça o áudio no qual Campos afirma que vai propor um texto sobre reforma tributária antes das eleições:

 

Momentos depois, a reportagem apresentou ao coordenador de comunicação da campanha do PSB, Nilson Oliveira, o áudio da entrevista na qual Campos fez a promessa de detalhar sua reforma tributária ainda no 1º turno. O assessor, então, disse que o então candidato cometeu um “equívoco”. “O Eduardo foi além do que ele mesmo havia defendido nos debates internos sobre reforma tributária. Não há nenhuma pessoa do staff dele que não aponte equívoco nessa fala”, disse Oliveira sobre a declaração feita em 22 de julho.

“Os compromissos assumidos publicamente são: não aumentar a carga tributária, enviar projeto de reforma no primeiro mês do primeiro ano de mandato e fazer as mudanças de forma fatiada”, afirmou o assessor. 

Sem pressa. O ex-deputado Maurício Rands, um dos responsáveis pelo programa do PSB, admitiu que foi discutida a apresentação da proposta detalhada, mas, diante da conjuntura, a campanha avaliou que não havia necessidade de ter pressa. “A reforma tributária está no programa. Os outros candidatos não têm nem programa, por que vamos formular uma PEC agora?”, questiona Rands.

O programa de governo apresentado por Marina em 29 de agosto fala de forma genérica sobre a reforma tributária. 

Diz que, se Marina for eleita, ela vai apresentar a reforma ao Congresso sem aumentar impostos, simplificando tributos, eliminando a regressividade e reduzindo a taxação dos investimentos. O programa fala ainda em justiça tributária, transparência e melhor repartição das receitas entre União, Estados e municípios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.