Gabriela Biló/Estadão
Gabriela Biló/Estadão

Marina critica proposta de Constituinte de Haddad e diz que 'Brasil não pode cair nos extremos'

Candidata da Rede criticou voto orientado pelo medo e campanhas que levam aos extremos da esquerda e da direita

Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo

30 de setembro de 2018 | 13h58

A uma semana do primeiro turno, a candidata da Rede, Marina Silva, disse neste domingo, 30, que o País não pode “cair nos extremos”, em uma referência ao cenário polarizado com os dois primeiros colocados nas pesquisas de intenção de voto: Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT). A ex-ministra alfinetou ainda a proposta de Constituinte do ex-prefeito, alegando que pode também ser um “retrocesso” à democracia.

“O Brasil não pode cair nos extremos. Esse é um momento difícil que precisa ser encarado pelos jovens libertários, pelas pessoas intelectuais, empresários democráticos”, disse a presidenciável durante caminhada na Av. Paulista.

O discurso da ex-senadora, que desidratou nas pesquisas e agora marca 5%, está no tom que ela deve levar nesta reta final, de crítica ao Bolsonaro e ao Haddad, como dois posicionamentos autoritários de direita e de esquerda, nas palavras da candidata.  O objetivo é angariar votos mais de centro.

+ MDB deve manter poder no Senado com Norte e Nordeste

“Dizer que vai convocar uma nova Constituição sem explicar para população brasileira quais as bases dessa convocação pode também significar ameaças a retrocessos à nossa democracia. Não queremos nenhum projeto que flerte com a Venezuela no Brasil”, afirmou a candidata da Rede.

Na última sexta-feira, Haddad disse que pretende convocar uma nova Constituinte e já foi criticado por adversários na disputa. Ciro Gomes (PDT) chamou de “violência institucional” a proposta.

Depois de criticar Haddad indiretamente, Marina disparou contra o deputado federal do PSL. “Não queremos o autoritarismo e o desrespeito do Bolsonaro com as mulheres, com os negros, os índios, com os gays, com todas as pessoas”. Ela participou do ato #EleNão no Largo da Batata em São Paulo no sábado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.