Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Veja qual o tempo de cada candidato na propaganda eleitoral

Marina Silva abre horário eleitoral em 1º de setembro e será seguida por Cabo Daciolo, Eymael, Meirelles, Ciro, Boulos, Alckmin, Vera Lúcia, Lula, Amoêdo, Alvaro Dias, Bolsonaro e João Goulart Filho

Rafael Moraes Moura, O Estado de S.Paulo

23 Agosto 2018 | 12h11

Correções: 24/08/2018 | 17h53

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, vai abrir o bloco do horário eleitoral reservado aos candidatos ao Palácio do Planalto, definiu na manhã desta quinta-feira, 23, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O horário eleitoral começa no dia 31 de agosto, mas a propaganda eleitoral dos presidenciáveis no rádio e na televisão se inicia no sábado, 1º de setembro, esclareceu a Corte Eleitoral.

Em audiência pública realizada nesta quinta-feira, foi sorteada a ordem do primeiro dia do programa eleitoral dos presidenciáveis. A definição da sequência de aparição dos candidatos no rádio e na televisão foi feita à moda antiga, como se fosse bingo, com o número de urna de cada candidato representando uma bolinha correspondente no sorteio. O tribunal também divulgou previsão do tempo de cada candidato a Presidente da República no horário eleitoral, a ser veiculado no rádio e na televisão.

Conforme o TSE, a ordem do horário eleitoral de 1º de setembro será essa: Marina Silva (Rede); Cabo Daciolo (Patriota); José Maria Eymael (DC); Henrique Meirelles (MDB); Ciro Gomes (PDT); Guilherme Boulos (PSOL); Geraldo Alckmin (PSDB); Vera Lúcia Pereira da Silva Salgado (PSTU); Luiz Inácio Lula da Silva (PT); João Amoêdo (Novo); Alvaro Dias (Podemos); Jair Bolsonaro (PSL); João Goulart Filho (PPL).

As propagandas dos presidenciáveis serão veiculadas às terças, quintas e sábados. No mesmo dia, são veiculadas as peças dos deputados federais. A ordem de aparição dos candidatos a presidente da República nos blocos de propaganda vai se alterando ao longo desses três dias: por exemplo, o primeiro candidato do bloco dos presidenciáveis na terça-feira será o último da próxima vez (ou seja, quinta-feira), e assim por diante.

Cada bloco do horário eleitoral veiculado na tevê tem 25 minutos - o horário de exibição na televisão é das 13h às 13h25 e das 20h30 às 20h55. Às terças, quintas e sábados, metade do tempo fica com os deputados federais; a outra metade, com os presidenciáveis. Nos outros dias, são veiculadas as propagandas dos candidatos que concorrem a outros cargos, como governador, senador e deputado estadual. A Corte Eleitoral também comunicou quantas inserções (peças de propaganda de curta duração divulgadas ao longo do dia) terá cada presidenciável ao longo do primeiro turno. O horário eleitoral está previsto para começar no dia 31 de agosto, sexta-feira. As peças dos presidenciáveis serão veiculadas em um bloco à tarde e outro à noite, ambos com a mesma duração.

O candidato do PSDB à Presidência, Geraldo Alckmin, é quem detém a maior fatia do horário eleitoral: o tucano deverá ter 5 minutos e 32 segundos em cada bloco de propaganda, além de 434 inserções que serão transmitidas na programação de rádio e televisão ao longo do primeiro turno.

Já o candidato do PSL ao Palácio do Planalto, Jair Bolsonaro, terá oito segundos em cada bloco de propaganda e 11 inserções ao longo do primeiro turno da campanha eleitoral, informou o TSE.

A candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), preso e condenado no âmbito da Operação Lava Jato, possui a segunda maior fatia do horário eleitoral: dois blocos diários de 2 minutos e 23 segundos cada, além de 188 inserções ao longo do primeiro turno, mais uma inserção extra de 30 segundos definida por sorteio.

Dos 13 concorrentes, o menor tempo é do João Goulart Filho (PPL), que terá apenas 5 segundos em cada bloco de propaganda.

Os tempos de cada candidato no horário eleitoral foram apresentados nesta manhã em audiência pública do TSE. As informações serão inseridas em uma proposta que ainda será apreciada pelo plenário da Corte Eleitoral na próxima terça-feira (28).

A divisão do tempo geral de propaganda também resulta em "sobras" (em virtude das diferenças de centésimos de segundo na distribuição geral do tempo), que foram sorteadas para seis candidatos, que vão ganhar, cada um, uma inserção extra de 30 segundos: José Maria Eymael (Democracia Cristã), João Amôedo (Novo), Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Alvaro Dias (Podemos) e Lula.

Correções
24/08/2018 | 17h53

Na primeira versão deste texto, no título e no texto, foi usado incorretamente o termo propaganda partiária em vez de termo correto, que é propaganda eleitoral.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.