Twitter Marilia Arraes/Reprodução
Twitter Marilia Arraes/Reprodução

Marília Arraes diz que respeita a decisão do PT, mas vai recorrer

Vereadora do Recife e pré-candidata do PT ao governo de Pernambuco afirmou que o encontro estadual está mantido para esta quinta-feira

Kleber Nunes, O Estado de S.Paulo

01 de agosto de 2018 | 20h49

RECIFE – A vereadora do Recife e pré-candidata do PT ao governo de Pernambuco, Marília Arraes, disse, em coletiva de imprensa em Recife nesta quarta-feira, 1, que “respeita a decisão da Executiva Nacional, mas não concorda e que vai recorrer”. A petista declarou que não se tratava de uma intervenção da cúpula do PT, atacou o governador e pré-candidato à reeleição, Paulo Câmara (PSB) e culpou os pessebistas por pressionar a cúpula do partido com “chantagens” em troca do apoio a um “governo falido”.

+++ Análise: Ciro Gomes, o candidato do eu sozinho

Marília reafirmou que o encontro estadual do PT está mantido para esta quinta-feira, 2, e convocou os 300 delegados da agremiação para votar em favor da candidatura própria do partido no Estado.

“Não é surpresa (a decisão da direção nacional). Nossa candidatura nasceu das bases, ganhou corpo e assustou os adversários que manobraram e adiaram três vezes o encontro estadual porque sabem que vamos ganhar. Somos os únicos capazes de defender o projeto do presidente Lula e vamos recorrer até a última instância”, declarou.

De acordo com a deputada estadual e membro da direção nacional do PT, Teresa Leitão, foi protocolado um recurso contra a decisão. O pedido deve ser apreciado no encontro da direção nacional da sigla, sexta-feira em São Paulo.

“Lula deu todos os sinais (de que apoia a candidatura própria do PT em Pernambuco) antes e depois da prisão. Inclusive mandou recados públicos por pessoas idôneas que não colocariam palavras na boca do presidente”, disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.