Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Marchezan e Manuela são alvos de debate em Porto Alegre

Prefeito é alvo de um processo de impeachment e candidata do PC do B lidera as pesquisas de intenção de voto

Lucas Rivas, especial para o ‘Estadão’, Porto Alegre

27 de outubro de 2020 | 22h02

PORTO ALEGRE – Dez candidatos à prefeitura de Porto Alegre participaram nesta terça-feira, 27, do debate promovido pela Rádio Guaíba e o jornal Correio do Povo. Com direito a réplica e tréplica, as perguntas e respostas miraram principalmente o prefeito Nelson Marchezan Junior (PSDB), que busca a reeleição, e Manuela D’Ávila (PCdoB), líder nas pesquisas de intenção de voto. Se os eleitores esperavam por propostas, eles ouviram uma série de acusações e troca de farpas.

Ex-namorado de Manuela, Rodrigo Maroni (PROS) acusou a candidata de “mentir compulsivamente”. “Sou o frustrado que não superou, mas tu mente, mente e mente”, assegurou. Manuela D’Ávila respondeu. “Temos entre nós uma pessoa que forjou um atentado. Isso está fora da falta de caráter, isso é transtorno. A minha vida é limpa”, disse. Manuela teve direito de resposta após ter sido atacada indiretamente por Maroni.

Desafetos, Marchezan esteve frente à frente com o vice-prefeito, Gustavo Paim (PP).

Ao ser atacado pelo vice por ter demitido 59 secretários e adjuntos desde o início do governo, Marchezan elevou o tom. “Desliguei por incompetência e por isso tive que te desligar”. “Tu queria me sacanear, prefeito”, rebateu Paim ao acusar Marchezan de ter tramado um esquema envolvendo recursos públicos para publicidade.

Em outros momentos, os demais postulantes também bateram na atual administração. No debate, temas como melhorias para o transporte público, privatizações e saúde foram abordados. Também participaram do encontro Fernanda Melchiona (PSol), João Derly (Republicanos), José Fortunati (PTB), Juliana Brizola (PDT), Sebastião Melo (MDB) e Valter Nagelstein (PSD). 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.