Mantega cogita deixar Fazenda, diz revista

Nos bastidores da Esplanada durante a semana passada circulou a informação de que o ministro da Fazenda, Guido Mantega, avalia a hipótese de deixar o cargo. Segundo reportagem da mais recente edição da revista Época, ele se afastaria neste início de ano para cuidar do tratamento de saúde de sua mulher, na capital paulista.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2012 | 03h03

A assessoria de imprensa do ministério, porém, informou ontem que Mantega "não cogitou nem cogita deixar o governo."

Desde o final de 2011, no entanto, o ministro da Fazenda tem passado mais tempo em São Paulo, onde despacha de um escritório do ministério.

Nos bastidores, já se comentava que a razão disso era a doença da esposa - um câncer, segundo a Época. E circulava, em caráter especulativo, a possibilidade de ele afastar-se por esse motivo.

"Realmente tem a doença, mas não acho que ele vá sair por isso", comentou um ministro, que preferiu se manter no anonimato. Mantega é hoje um dos ministros mais próximos da presidente Dilma Rousseff.

Na hipótese da saída, ele seria substituído por Nelson Barbosa, atualmente secretário executivo da pasta, também homem de confiança da presidente.

A especulação atingiu seu auge na quarta-feira, quando Mantega interrompeu suas férias para conversar com a presidente Dilma Rousseff durante almoço. Como Barbosa tinha tido uma audiência pouco antes, houve quem concluísse que se tratava da mudança no comando da Fazenda - o que não se confirmou.

No dia seguinte, quinta-feira, ele acompanhou a presidente em visita a São Paulo.

Tendo atuado como um dos conselheiros econômicos na elaboração do programa de campanha de Dilma, Barbosa tem acesso direto à presidente e esteve cotado para vários cargos durante a transição, inclusive o de ministro da Fazenda. Mas nem o próprio secretário alimenta a expectativa de tornar-se ministro. "É mais fácil o inferno congelar do que eu virar ministro", disse ele a um amigo. / LU AIKO OTTA e EDUARDO CUCOLO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.