Maluf diz que quer apoio de Kassab no segundo turno

Questionado sobre a possibilidade de aliar-se à candidata do PT, Marta Suplicy, candidato do PP desconversou

CAROLINA FREITAS, Agencia Estado

04 de setembro de 2008 | 15h06

O candidato do PP à Prefeitura de São Paulo, Paulo Maluf , afirmou nesta quinta-feira, 4, após sabatina do Grupo Estado, que quer o apoio do prefeito e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, em um eventual 2º turno. Sabatinado na quarta-feira, Kassab também mostrou-se à vontade com uma possível participação de Maluf em sua campanha para um possível 2º turno, dizendo que todo apoio era bem-vindo. Otimista, Maluf insistiu que ele é quem irá para a próxima etapa da eleição. "Espero o apoio de Kassab se ele não for para o 2º turno. Eu irei."O vídeo da sabatina pode ser visto na TV Estadão (clique aqui).   Veja também: Especial: Perfil de Paulo Maluf Maluf diz que é perseguido e explica 'Estupra, mas não mata' Para Maluf, carro parado é o que causa poluição em São Paulo Apesar das críticas a Marta, Maluf elogia CEUs e bilhete único Maluf diz que constuirá mais Cingapuras e defende volta do PAS Veja galeria de fotos da sabatina  Blog: confira as principais declarações de Maluf Veja gráfico com a última pesquisa Ibope/Estado/TV Globo Vereador digital: Conheça os candidatos à Câmara de SP  As regras para as eleições municipais  Tire suas dúvidas sobre as eleições de outubro Questionado sobre a possibilidade de aliar-se à candidata do PT, Marta Suplicy, Maluf desconversou. "Só penso em aliança com o povo de São Paulo." A candidata da coligação "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB) vem sendo alvo de críticas de Maluf, que já a acusou de mentir ao prometer construir metrô na cidade. "Marta foi derrotada e repudiada pela população em 2004. Não vejo razões para ela ser reconduzida (à Prefeitura)", disse Maluf.Durante a sabatina, um grupo de cerca de dez seguidores de Maluf acompanhava atentamente o desempenho de seu candidato. A claque aplaudia apaixonadamente a fala de Maluf e fazia comentários de desaprovação a algumas perguntas dos entrevistadores, principalmente sobre os processos a que o candidato responde. A vice na chapa de Maluf, Aline Corrêa, chegou dez minutos depois do início do evento e integrou o grupo.Troca de favoresMaluf minimizou a gravidade de trocar financiamento de campanha por favores e insinuou que Marta e Kassab, da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) usariam a máquina pública para arrecadar recursos. "Enfrento grandes máquinas, a federal que apóia Marta, e a da Prefeitura e do governo do Estado, apoiando Kassab", disse."Gratidão é a esperança dos favores futuros. Quem está com a caneta pode prometer fazer isso ou aquilo e, com mais facilidade, ter de maneira honesta uma contribuição", afirmou. Questionado, após a sabatina, se achava a troca de favores honesta, Maluf disse: "Não é. Mas não vá querer que os 6,4 bilhões de habitantes do mundo vão todos para o céu".   Na série de sabatinas do Grupo Estado, Marta Suplicy (PT) foi a primeira. Geraldo Alckmin (PSDB) e o atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), deram seqüência. Paulo Maluf (PP) foi o quarto. Em seguida, serão entrevistados Soninha Francine (PPS), na sexta, e Ivan Valente (PSOL), na segunda, dia 8. Todos respondem a perguntas e apresentam suas propostas para as principais áreas da cidade. Logo após a transmissão, os vídeos das sabatinas podem ser vistos no estadao.com.br.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.