José Patrício|Estadão
José Patrício|Estadão

Mais da metade das prefeituras conquistadas pelo PT tem menos de 10 mil eleitores

Situação é inédita na história da sigla, que agora tem presença bastante reduzida nos grandes centros urbanos; partido elegeu apenas 256 prefeitos no 1º turno

Vera Rosa, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2016 | 14h47

BRASÍLIA - Levantamento feito pela Secretaria Nacional de Organização do PT mostra que, além de ter perdido a eleição em 60% das cidades comandadas pelo partido no primeiro turno, o quadro é ainda mais preocupante. O tamanho da derrota do PT foi medido pelo revés sofrido na capital paulista, mas, além disso, mais da metade das 256 prefeituras conquistadas pela sigla tem menos de 10 mil eleitores.

“Do ponto de vista do porte dos municípios houve redução em todas as faixas do eleitorado”, diz o levantamento do PT. A situação é inédita na história da sigla, que agora tem presença bastante reduzida nos grandes centros urbanos.

Em 2012, o PT elegeu prefeitos em 23 municípios com mais de 150 mil eleitores. Agora foram apenas 4. A legenda disputará o segundo turno no Recife (PE) e em Santo André (SP), Mauá (SP), Vitória da Conquista (BA), Anápolis (GO), Juiz de Fora (MG) e Santa Maria (RS).

O resultado eleitoral também foi muito desfavorável para o PT no Nordeste, região em que por muitos anos o partido contou com grande apoio popular. A única capital onde a sigla ainda está no páreo, para o segundo turno, é Recife, com João Paulo Lima e Silva, que já foi prefeito da cidade em dois períodos - de 2001 a 2004 e de 2005 a 2008. Lima e Silva vai enfrentar o atual prefeito Geraldo Júlio (PSB).

O estudo da Secretaria Nacional de Organização também indica que, entre os Estados onde o PT perdeu mais prefeituras, em comparação com 2012, estão Minas Gerais, com 73 prefeitos a menos, São Paulo, com 60 e Bahia, com 54. No Piauí, no entanto, o número de prefeituras eleitas pelo partido subiu de 21 para 38.

Rio Branco (AC) foi a única capital do País que deu vitória ao PT no primeiro turno. Na capital acreana, o prefeito Marcus Alexandre foi reeleito com 54,9% dos votos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.