Maioria dos líderes quer fim do voto secreto na Casa

Às vésperas do julgamento do senador Demóstenes Torres (ex-DEM, sem partido-GO), 9 dos 11 líderes de partidos no Senado se dizem favoráveis à aprovação da Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que acaba com o voto secreto em plenário para processos de cassação de mandato. Levantamento feito pelo Estado com as lideranças da Casa revela que, à exceção do PSD, contrário, e do PMDB, que se absteve, os demais querem a mudança.

O Estado de S.Paulo

06 Junho 2012 | 06h38

Ontem, o presidente da Casa, José Sarney (PMDB-AP), atendeu aos apelos de um grupo de parlamentares que o vinha pressionando a pôr o assunto em votação. Ele anunciou que a matéria entrará na pauta na quarta-feira.

Os líderes do PT no Senado, Walter Pinheiro (BA), e do PSDB, Álvaro Dias (PR), afirmam que, se houver vontade política, a matéria poderia ser aprovada pelas duas Casas antes do processo de Demóstenes chegar a plenário, em meados de julho. "Em menos de um mês, quando o Congresso quer, aprova uma PEC", disse o tucano.

A maioria dos líderes, porém, afirma que não é possível aprovar a mudança antes da decisão sobre Demóstenes. O presidente e líder do DEM, Agripino Maia (RN), e o líder do PC do B, Inácio Arruda (CE), creem que a tarefa é "muito difícil". / RICARDO BRITTO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.