Maior templo do País tem público suprapartidário

Evento da Igreja Universal põe Edir Macedo ao lado de Dilma Rousseff, Geraldo Alckimin, Fernando Haddad e fiéis da igreja

ANA FERNANDES e VALMAR HUPSEL FILHO, O Estado de S. Paulo

01 de agosto de 2014 | 00h16

Fundador da Igreja Universal do Reino de Deus, o bispo Edir Macedo ficou rodeado de autoridades na última quinta-feira no culto de inauguração do Templo de Salomão, maior templo religioso construído no Brasil, no centro de São Paulo. Durante cerca de três horas, o local foi a maior concentração “ecumênica” de políticos do dia.

Ao lado de Edir Macedo ficou a presidente Dilma Rousseff, como mostraram imagens exibidas em um telão fora do templo – os jornalistas não puderam entrar no local e foram colocados em uma área reservada, distante do acesso das autoridades. Antes da cerimônia, houve ao menos três cortes parciais de energia na área externa.

Dilma estava com seu vice, Michel Temer, e os ministros Aloizio Mercadante (Casa Civil) e Gilberto Carvalho (Secretaria-Geral). Com 1,8 milhão de fiéis, a Universal apoia a petista, a exemplo de 2010. A coligação de Dilma inclui o PRB, cujo presidente, Marcos Pereira, é bispo licenciado da Universal e homem de confiança de Macedo.

Em São Paulo, o PRB apoia a reeleição do governador Geraldo Alckmin (PSDB), presente ao local, assim como o prefeito Fernando Haddad (PT) e seu antecessor, Gilberto Kassab (PSD), cuja gestão autorizou a construção do templo. Dois ministros do Supremo Tribunal Federal – Marco Aurélio Mello e Ricardo Lewandowski, que assume hoje a presidência da Corte – também estavam lá. No culto, Edir Macedo disse aos fiéis presentes que “o povo está cansado dos fracassos na saúde, dos fracassos na segurança, em todos os sentidos”.

Após a cerimônia, segundo a equipe da Presidência, Dilma fez um tour pelo templo ao lado do bispo e foi embora, sem falar com os jornalistas. 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.