Epitacio Pessoa/AE
Epitacio Pessoa/AE

Lula volta a criticar PSDB e diz que Serra é candidato desgastado

Na última quinta, o ex-presidente disse que não vai deixar que um tucano volte a governar SP

Daiene Cardoso, da Agência Estado,

02 de junho de 2012 | 13h17

SÃO PAULO - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva voltou a criticar neste sábado, durante encontro com militantes do PT em São Paulo, o PSDB, alvejando agora o pré-candidato José Serra. Em pouco mais de 20 minutos de discurso, Lula se referiu a Serra como o candidato à Presidência "que tomou uma tunga da companheira Dilma" e que abandonou a cidade com apenas um ano e quatro meses de mandato. Ao afirmar que os adversários do pré-candidato do PT, Fernando Haddad, são "frágeis", Lula se referiu também a Serra: "Tem um (dos pré-candidatos) que já está desgastado. Nem sei por que ele quer ser candidato a prefeito", ironizou o ex-presidente.

Lula disse ainda que o ex-ministro da Educação precisa avançar junto ao eleitorado que não vota no Partido dos Trabalhadores por preconceito.

No discurso, Lula afirmou que o tucano usou a cidade como trampolim para ser candidato à Presidência. "São Paulo tem sido relegada a segundo plano", criticou. Ao lembrar que, embora more em São Bernardo do Campo, tem sua história muito ligada a São Paulo, Lula disse que a capital precisa de alguém que cuide dela como uma mãe cuida de seus filhos. E, nos elogios, deixou escapar um palavrão: "São Paulo é uma p... de uma cidade".

Em uma breve retrospectiva sobre a história do PT na cidade, Lula lembrou que o partido teve de ir além do patamar tradicional de 30% dos votos para conquistar a prefeitura, como aconteceu nas gestões de Luiza Erundina (1989-1993) e Marta Suplicy (2001-2004), quando esta ganhou a eleição com o apoio do ex-governador Mário Covas (PSDB). "É importante lembrar que o Covas também ganhou em 1994 e 1998 com o apoio do PT", destacou. O ex-presidente disse estar convicto de que o seu candidato vai superar a barreira dos 30% de votos. "O desafio é encontrar o mote para falar com os 15% ou 20% que ainda "teimam em não votar no PT", disse.

Mesmo com dificuldade para falar, Lula aproveitou seu discurso para agradecer aos petistas que disputaram a indicação do partido com Haddad, entre eles a senadora Marta Suplicy, um dos nomes mais mencionados no evento, mas que não compareceu. "Você não é o meu candidato, você é o candidato que o povo de São Paulo precisa para mudar a relação entre cidade e governo", disse o presidente para Haddad.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.