Lula se diz disposto a 'erguer poeira' por Haddad

Ex-presidente ficou animado com o crescimento do candidato petista em pesquisa Datafolha

José Maria Tomazela, de O Estado de S. Paulo

21 de agosto de 2012 | 18h34

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ficou animado com o crescimento de Fernando Haddad na última pesquisa Datafolha e está disposto a ir às ruas e "erguer poeira" para levar o candidato petista ao segundo turno das eleições em São Paulo, revelou um amigo de Lula, após encontrar-se com ele, nesta terça-feira, 21. A pesquisa mostra que Haddad cresceu um ponto em relação à anterior e chegou a 8% das intenções de voto. Segundo a fonte, chamou a atenção do ex-presidente o fato de que seu candidato é conhecido por apenas 64% dos entrevistados, enquanto 94% disseram conhecer Celso Russomanno, do PRB, e 98% conhecem José Serra, do PSDB, os melhores colocados.

Lula teria vibrado com os números e dado como certa a ida da Haddad ao segundo turno. Na pesquisa divulgada nesta terça o candidato do PRB, Celso Russomanno, com 31%, passou à frente de Serra, com 27%, mas, pela margem de erro, estão tecnicamente empatados. O ex-presidente, que foi aconselhado a evitar exposições públicas durante o julgamento do mensalão, já pediu aos assessores para que seja ampliada sua agenda externa. Na quarta-feira, 22, Lula participa da reinauguração da sede nacional do PT em São Paulo, com a presença de Haddad. Não está descartada uma carreata com o candidato petista ainda esta semana. Na segunda-feira, o ex-ministro afirmara que a campanha pretendia poupar o ex-presidente de carreata em carro aberto para preservar sua saúde - Lula se recupera de um câncer na laringe.

Embora Lula considere São Paulo "prioridade absoluta" pelo que a capital representa para o PT e para sua trajetória pessoal, o ex-presidente não poderá dedicar-se em tempo integral à campanha paulistana, como gostaria, pois é cobrado pelas candidaturas de outros Estados. "Ele tem de dar atenção também aos outros candidatos", reconheceu Haddad. Nos dias 31 deste mês e 1 de setembro, Lula fará campanha em Belo Horizonte e cidades próximas, como Betim. O ex-presidente quer tempo para ajudar as campanhas petistas em cidades da Grande São Paulo, nas quais o PT precisa manter as prefeituras que já conquistou, e em Campinas. Para facilitar o acesso do ex-presidente a coordenação da campanha montou um estúdio em prédio próximo do Instituto Lula, no bairro Ipiranga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.