Lula ironiza Marina e ouve pedidos para voltar a concorrer ao Planalto

Ex-presidente rebateu críticas da ex-ministra à política econômica do governo Dilma

Beatriz Bulla - Agência Estado

19 de outubro de 2013 | 02h11

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ironizou ontem as recentes críticas feitas por Marina Silva à condução da economia do País. "Eu tinha uma frustração na minha vida. Tinha vontade de ser economista. Achava chique ser economista, porque economista sabe tudo quando está na oposição. Agora estou vendo até uma candidata falar em tripé, que é preciso 'consertar o tripé'. Pode? Eu acho fantástico como economista é um bicho sabido", disse o petista, referindo-se ao fato de a ex-ministra do Meio Ambiente ter afirmado que a presidente Dilma Rousseff deixou de lado o tripé econômico criado nos anos 1990 pelo governo Fernando Henrique: altos superávits primários, câmbio flutuante e regime de metas da inflação.

A própria Dilma já havia respondido a Marina, agora correligionária do governador de Pernambuco, Eduardo Campos, no PSB. A presidente afirmou, ao comentar o assunto nesta semana, que "a inflação está sob controle" e as contas públicas, "absolutamente sob controle".

Em evento organizado pelo Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) na zona norte da capital paulista, Lula defendeu a gestão de sua sucessora na economia citando, também, medidas adotadas em seu próprio governo. "Como eu não pude ser (economista) porque as condições não me permitiram e o Zé Alencar também tinha vontade de ser, a gente tentou fazer os investimentos porque entendíamos que era a solução de transformar o Brasil numa grande nação", disse Lula, fazendo referência ao seu vice, José Alencar, que morreu em 2011, e à política de seu governo de aumentar os gastos públicos.

Volta. Ao ouvir de uma plateia de professores pedidos para voltar à Presidência da República, Lula afirmou que não tem intenção de substituir Dilma e disputar a eleição em 2014. "Tem tempo de concorrer e tempo de parar. Já fiz minha parte, cumpri a tarefa que vocês me delegaram", disse o ex-presidente. "Agora temos uma outra tarefa, quero, junto com vocês, ser apenas um bom cabo eleitoral nas próximas eleições", afirmou. "Eu não fui eleito presidente pela ajuda da televisão, nem pela ajuda de nenhum jornal, fui eleito pela perseverança de vocês."

A possibilidade de Lula voltar a concorrer à Presidência costuma ser alimentada por setores do PT - o assunto sempre volta em momentos de crise, como após as manifestações de rua de junho. O ex-presidente, no entanto, já afirmou em diversas oportunidades que Dilma é sua candidatura, avalizando, assim, o projeto de reeleição da afilhada política.

Tudo o que sabemos sobre:
Lulamarina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.