Lula defende Marta e ataca oposição por usar sua imagem

Ao som de várias músicas de suasantigas campanhas eleitorais, o presidente Luiz Inácio Lula daSilva afirmou neste sábado que a oposição é hipócrita eoportunista por utilizar sua imagem nas eleições municipais eacusou os rivais da candidata petista na disputa paulistana,Marta Suplicy, de copiar seus projetos na TV. Embalado por uma popularidade de 64 por cento, de acordocom a pesquisa mais recente do instituto Datafolha, Lula temsido usado em propagandas não apenas de candidatos a prefeitode partidos da base do governo, mas também de rivais, comotucanos e democratas, que alegam ter bom relacionamento com oPalácio do Planalto para tocar projetos municipais. "De dia (os oposicionistas) me xingam na Câmara e me xingamno Senado. De noite, distribuem santinho do Lula nas cidadesonde eles moram. Vocês vejam onde chega a hipocrisia", disse opresidente durante discurso em um comício de Marta no bairro deVila Nova Cachoeirinha, na zona Norte de São Paulo. "Eles não têm lado porque são oportunistas e nós temoslado. Temos cara", completou Lula, diante de um públicoestimado pela organização do evento em 15 mil pessoas--representantes da Polícia Militar não foram encontrados parafornecer seus números sobre os presentes no evento. Lula fez o discurso acompanhado pelos governadores doCeará, Cid Gomes (PSB), e do Sergipe, Marcelo Déda (PT); opresidente da Câmara, Arlindo Chinaglia (PT); os ministrosOrlando Silva (Esportes) e Luiz Barreto (Turismo) e por Marta,que, segundo o presidente, perdeu a reeleição para a prefeiturapaulistana para José Serra (PSDB) em 2004 "porque fez claraopção pelos pobres". A petista lidera as pesquisas de intenção de voto nacapital paulista e está à frente do ex-governador tucanoGeraldo Alckmin e do atual prefeito, Gilberto Kassab (DEM), queestão empatados nas sondagens na disputa pela outra vaga em umprovável segundo turno contra a ex-prefeita. AJUDAS Para Lula, os rivais da petista copiam suas propostas e"estão brincando com a nossa inteligência" ao tentarem colarsuas imagens à do presidente, depois de fazerem "oposiçãoferrenha" ao governo, especialmente, diz ele, ao derrubar aCPMF no Congresso, o que garantiria mais recursos para a Saúde. "Na campanha presidencial (de 2006) esses mesmos que copiamtodas as propostas eram aqueles que iam para a televisão parame achincalhar, me ofender, dizer que o governo não fazianada", disse. "Hoje até eles dizem 'Ah, com o Lula tudo bom, mas o PT éque não sei das quantas"', afirmou o presidente ao públicoreferindo-se a uma propaganda de Alckmin. Bem-humorado ao discursar em uma região pobre onde vinhajogar futebol quando era mais jovem, Lula pediu votos paraMarta em uma área onde ela é menos popular. "Falem para as pessoas, ajudem aquele baianinho a eleger aMarta Suplicy", disse o presidente, pernambucano, em referênciaa si mesmo, depois de Marta, Cid Gomes e Déda repetirem aimportância de que os prefeitos tenham um bom relacionamentocom o presidente da República para realizar projetos e obras. Lula brincou que o Brasil contou com ajuda divina nocrescimento econômico dos últimos anos e nas descobertas depetróleo feitas pelo país. "Deus já assumiu publicamente que é brasileiro. Ele, na suaonipotência, olha para o mundo inteiro. Mas eu acho que elepensou: 'Agora eu vou ser um pouquinho brasileiro já que esseLula está aí"', brincou o presidente, que prometeu se empenharpara eleger "um candidato ou uma candidata da nossa turma" parasucedê-lo em 2010.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.