Lula condena preconceito contra nordestinos nas redes sociais

Lula condena preconceito contra nordestinos nas redes sociais

Ex-presidente classifica como 'absurdas' reações de internautas a eleitores do Nordeste após votação a Dilma no primeiro turno

José Roberto Castro , O Estado de S. Paulo

08 de outubro de 2014 | 13h24

São Paulo - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva divulgou nota, nesta quarta-feira, 8, em que lamentou declarações preconceituosas contra eleitores nordestinos, após o desempenho da presidente Dilma Rousseff (PT) no primeiro turno. "É um absurdo que o Nordeste e os nordestinos sejam caracterizados como ignorantes ou desinformados por seus votos", escreveu o petista.


Foi na região Nordeste que Dilma registrou seu melhor desempenho e conquistou na Bahia, por exemplo, uma vantagem de 3 milhões de votos em relação aos adversários. Após a divulgação dos primeiros resultados no domingo, houve manifestações preconceituosas nas redes sociais. Em postagens no Twitter e no Facebook, internautas desqualificavam o voto de nordestinos e atribuíam a escolha por Dilma à dependência de programas federais, como o Bolsa Família.

Lula exaltou as realizações de seu governo na região e disse que, na década de 90 ou antes, o Nordeste era um lugar onde reinavam a fome, o desemprego e a falta de oportunidade. "Por isso muitos, como eu, tiveram que abandonar sua terra natal e migrar para outras regiões em busca de melhores condições de vida."

Segundo o ex-presidente, o nordestino tem hoje motivos para andar com a cabeça erguida e as pessoas deveriam ser gratas pela diversidade do Brasil. "Somos todos brasileiros e temos que nos unir para continuar construindo um país mais solidário, mais justo, com mais oportunidades para todos, independente de cor, crença, religião ou região do país em que cada um tenha nascido."

Leia a íntegra da nota:

"É lamentável o preconceito que vem à tona depois de um processo democrático tão importante, como as eleições do último domingo. É um absurdo que o nordeste e os nordestinos sejam caracterizados como ignorantes ou desinformados por seus votos. Primeiro porque isso é fruto de preconceito lastimável, segundo porque mostra um desconhecimento profundo da atual situação do nordeste brasileiro. Quem faz afirmações deste tipo imagina o nordeste da década de 90 ou de antes, onde reinavam a fome, o desemprego e a falta de oportunidade. Por isso muitos, como eu, tiveram que abandonar sua terra natal e migrar para outras regiões em busca de melhores condições de vida.

Hoje, o nordestino anda de cabeça erguida porque não é mais tratado pelo governo como cidadão de segunda categoria. Das 18 universidades criadas nos 12 anos de governo, 7 são no nordeste. A região conta hoje com 62 extensões universitárias. Mais de 16 mil estudantes dessas universidades foram estudar no exterior com o Ciência sem Fronteiras. Dos 20 milhões de empregos criados no país, quase 20% foram no nordeste. 141 escolas técnicas foram implantadas na região, representando 33% do total no país. A mortalidade infantil, que era um dos principais problemas da região caiu a menos da metade. Os nordestinos, hoje, não são mais personagens de tristes reportagens sobre as migrações para os grandes centros urbanos. Eles podem viver nas suas terras de origem com dignidade e oportunidade.

Somos todos brasileiros e temos que nos unir para continuar construindo um país mais solidário, mais justo, com mais oportunidades para todos, independente de cor, crença, religião ou região do país em que cada um tenha nascido. As pessoas deveriam ser agradecidas pela diversidade do nosso grande país. Essa é a nossa riqueza.

Lula"

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesLulaNordeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.