Ligação com a entidade se estreitou na prefeitura de BH

A ligação do ministro Fernando Pimentel com a Federação das Indústrias de Minas Gerais (Fiemg) vem do tempo em que ele era prefeito de Belo Horizonte. Ao deixar o cargo, Pimentel recebeu em sua empresa P-21 Consultorias, da Fiemg, R$ 1 milhão pela prestação de serviços.

O Estado de S.Paulo

16 de dezembro de 2011 | 03h04

No entanto, em 2006 sua gestão na prefeitura já havia contratado sem licitação a Camter Construções e Empreendimentos, presidida por Luiz Augusto de Barros. Barros foi vice-presidente da Fiemg durante a gestão de Robson Andrade - o mesmo que pagou pela consultoria de Pimentel.

A Camter foi contratada com dispensa de licitação, conforme o processo 01.077158.0654, publicado no Diário Oficial do Município de 30 de junho de 2006. A dispensa de licitação foi autorizada por Murilo Valadares, que era secretário municipal de Políticas Urbanas e um dos frequentadores da P-21 na campanha do petista ao Senado em 2010. Valadares é hoje secretário de Obras e Infraestrutura da Prefeitura, comandada por Marcio Lacerda (PSB), aliado de Pimentel.

A Camter foi contratada por R$ 21,6 milhões para fazer a revitalização do Anel Rodoviário. O mesmo contrato dava R$ 50,6 milhões a outra empresa, a Egesa Engenharia S.A., por outro lote de obras. Elas foram escolhidas "em função de sua notória qualificação técnica". Eram as "únicas aptas ao início dos trabalhos no prazo". / MARCELO PORTELA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.