Líder do PT diz que Pesca não teve 'malfeito'

Tatto afirma não entender crítica de ex-ministro Luiz Sérgio a negociação que envolveu lanchas

ANDREA JUBÉ VIANNA / BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

01 de abril de 2012 | 03h04

A declaração do ex-ministro da Pesca, deputado Luiz Sérgio (PT-RJ), de que houve um "malfeito" na iniciativa da pasta de cobrar dinheiro para o PT de Santa Catarina de uma empresa contratada pelo governo criou desconforto no partido e aumentou a pressão para que o caso seja investigado.

Sucessor da ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvatti, no Ministério da Pesca, Luiz Sérgio disse que não é função do ministério arrecadar dinheiro para candidaturas ou para partidos. Seu comentário sobre a gestão dos antecessores, igualmente petistas, criou constrangimento sobretudo porque Ideli é coordenadora política do governo.

O líder do partido na Câmara, Jilmar Tatto (SP), tentou amenizar o efeito da declaração, dizendo que não sabe o que levou Luiz Sérgio a agir dessa forma. Tatto saiu em defesa de Altemir Gregolin, que encomendou 28 lanchas sem utilidade na pasta, e de Ideli, que tem fatura pendente de R$ 5,2 milhões à Intech Boating.

"Não há por que caracterizar como um malfeito, o ministério não pediu contribuição (para a campanha), foi o PT", afirmou, reforçando argumento do presidente do PT, Rui Falcão. "Além disso, a doação é voluntária", disse, lembrando que, por essas e outras, o PT defende o financiamento público das campanhas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.