Líder do PT acha 'muito difícil' votação na CPI mista da Petrobrás antes do 2º turno

Para Humberto Costa, oposição quer usar a comissão para estabelecer uma disputa política às vésperas da eleição; 'eles sabem que não vão ter nenhum resultado', diz

Ricardo Brito, O Estado de S. Paulo

15 de outubro de 2014 | 15h14

Brasília - O líder do PT no Senado, Humberto Costa (PE), afirmou nesta tarde que considera "muito difícil" realizar uma sessão da CPI mista da Petrobrás para votar requerimentos antes do segundo turno das eleições. Os oposicionistas pressionaram na terça o presidente da comissão, senador Vital do Rêgo (PMDB), para convocar para esta quarta uma reunião administrativa a fim de tentar chamar o tesoureiro do PT, João Vaccari, e o ex-diretor de Serviços Renato Duque, ambos citados por Paulo Roberto Costa como envolvidos no suposto esquema de propina ao partido.

A oposição também pretende aproveitar a reunião já marcada para a próxima quarta-feira, 22, em que vai ouvir o atual diretor de Abastecimento da estatal, José Carlos Cosenza, para chamar também o doleiro Alberto Youssef, cuja convocação já tinha sido aprovada pela CPI.

Cabe ao presidente da CPI fazer a convocação da sessão administrativa. Contudo, para ocorrer a votação é necessário haver a presença de, pelo menos, 17 parlamentares. Sem a presença de integrantes da base aliada, a oposição sozinha não consegue garantir o quórum suficiente.

Vital chegou a sugerir que se aproveite a reunião marcada para a semana que vem para tentar, se tiver quórum, transformá-la em votação de requerimentos. "Na semana da eleição, acho muito difícil (realizar uma sessão para se votar requerimentos). Se houver sessão, vamos participar, mas acho difícil haver condições para se transformar em sessão de votação", afirmou.

Para o líder do PT, a oposição quer usar a CPI para estabelecer uma disputa política às vésperas do segundo turno. "É claro, eles (a oposição) sabem que não vão ter nenhum resultado de se fazer uma sessão da CPI agora, a não ser a disputa política", criticou.

Tudo o que sabemos sobre:
CPI mistaPetrobrasLava Jato

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.