Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Líder cai em pesquisa e ataca Haddad

Russomanno perde 5 pontos no Datafolha e põe em site vídeo em que liga adversário à taxa do lixo; tucano e petista têm empate técnico

DANIEL BRAMATTI , RICARDO CHAPOLA, O Estado de S.Paulo

28 de setembro de 2012 | 03h03

No dia em que caiu 5 pontos porcentuais e foi para 30% das intenções de voto, segundo pesquisa Datafolha divulgada ontem, a campanha do candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno, veiculou na TV e na internet um vídeo com críticas a Fernando Haddad (PT), que subiu de 15% para 18%. A peça afirma que o petista "distorce" propostas de oponentes.

No spot, a campanha de Russomanno responde aos ataques feitos por Haddad no começo da semana, nos quais afirmou que a proposta do candidato do PRB em criar uma tarifa proporcional para o transporte na capital prejudicaria quem morasse mais longe, já que essas pessoas pagariam mais. O narrador do vídeo diz que "Haddad e o PT insistem na mentira e distorcem as propostas de Celso Russomanno".

O contra-ataque de Russomanno liga Haddad à taxa do lixo, criada na gestão de Marta Suplicy, em 2004 - medida que contribuiu para o crescimento da rejeição da então prefeita na época. "Não se deixe enganar. Quem ajudou a criar a taxa do lixo está desesperado", diz o spot.

Os dados do Datafolha divulgados ontem mostram que Haddad e José Serra (PSDB) voltam ao empate técnico do qual haviam saído na pesquisa divulgada há uma semana - naquele levantamento, o tucano abria seis pontos porcentuais de vantagem. Pelos números atuais, o tucano oscilou de 21% para 22%.

Anteontem, o instituto Ibope também detectou um empate técnico entre os dois, mas mostrou Haddad numericamente à frente de Serra pela primeira vez (18% a 17%). O Ibope também mostrou Russomanno com 34%, quatro pontos porcentuais a mais do que o resultado registrado no Datafolha.

Russomanno, com passagem praticamente assegurada para o segundo turno, venceria qualquer dos adversários em um confronto direto se a eleição fosse hoje. Contra Serra, o placar seria de 50% a 34%. Contra Haddad, venceria por 49% a 34%.

Uma improvável disputa entre PSDB e PT no segundo turno seria vencida por Haddad. Ele teria 48%, ante 38% de Serra.

Queda. A intenção de voto em Russomanno no primeiro turno passou por oscilações bruscas nas recentes pesquisas, mas o mesmo não havia ocorrido em relação à projeção de segundo turno. Suas taxas caíram na pesquisa divulgada ontem.

No confronto contra Serra, o candidato do PRB tinha 26 pontos de vantagem em 20 de setembro (57% a 31%). Agora, a distância caiu 10 pontos (50% a 34%).

Na disputa contra o adversário petista, Russomanno estava na frente com 25 pontos a mais (55% a 30%). Agora, a vantagem é de 15 pontos (49% a 34%).

A taxa de rejeição é o principal obstáculo para o crescimento de Serra: 45% dos eleitores paulistanos afirmam que não votariam nele de jeito nenhum. Russomanno é rejeitado por 22%, e Haddad, por 24%. O quarto colocado é o peemedebista Gabriel Chalita, que chegou a 9% das intenções. A seguir aparece Soninha Francine (PPS), com 4%.

O Datafolha ouviu 1.799 eleitores de São Paulo entre ontem e anteontem. A margem de erro é de dois pontos porcentuais para mais ou para menos.

Cenários. A TV Globo, que divulgou ontem a pesquisa, não detalhou em quais regiões da cidade ocorreram as principais mudanças no cenário eleitoral.

Os dados do Ibope, porém, indicam que há um refluxo do eleitorado de Russomanno na zona oeste e na região central, áreas em que Haddad ganhou terreno recentemente. Na zona oeste, o Ibope mostrou os três principais candidatos em situação de empate técnico: Russomanno e Haddad com 23%, e Serra, com 15%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.