Lewandowski e Mendes batem boca em plenário

Uma discussão remanescente do julgamento do mensalão foi o motivo de novo bate-boca no Supremo Tribunal Federal. Os ministros Gilmar Mendes e Ricardo Lewandowski discutiram sobre o desmembramento de um inquérito aberto contra o deputado Anthony Garotinho (PR) e o candidato à prefeitura de Campos dos Goytacazes (RJ) Geraldo Pudim.

O Estado de S.Paulo

18 de outubro de 2012 | 03h07

Defensor do desmembramento do caso, Lewandowski reclamou que Mendes apontara uma suposta contradição ao lembrar que, em inquérito contra o deputado Paulo Maluf (PP-SP), o colega defendeu posição contrária.

"Como sempre, Vossa Excelência, de forma professoral e magistral, se compraz em encontrar contradições em meus votos", reclamou Lewandowski. Mendes tentou contemporizar, mas não adiantou. "Não sou aluno. Sou professor na mesma categoria que Va. Excelência e numa universidade de renome (USP). Não vou aceitar lições", disse Lewandowski. Mendes respondeu: "Va. Excelência pode fazer a comparação que quiser e não vai impedir que eu me manifeste em relação a pontos que estamos discutindo". "Va. Excelência está se revelando muito sensível", emendou.

Passado o imbróglio, ambos votaram pela rejeição da denúncia contra Garotinho e remissão do processo para a 1ª instância. / FELIPE RECONDO, MARIÂNGELA GALLUCCI e RICARDO BRITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.