Lacerda acusa Quintão de usar métodos 'fascistas'

O candidato do PSB à Prefeitura de Belo Horizonte, Márcio Lacerda, acusou hoje a campanha de Leonardo Quintão (PMDB) de utilizar métodos "fascistas" para vencer a disputa e disse que uma "associação criminosa" está atuando ao lado do peemedebista. Na madrugada de domingo, o site oficial do candidato do PSB foi atacado por hackers e, ontem, no debate da TV Record, Lacerda acusou a campanha de Quintão de distribuir panfletos apócrifos contra ele no estádio Mineirão, durante o clássico entre Atlético-MG e Cruzeiro. "É método fascista. De quem quer dar golpe", afirmou ele, hoje."Quem distribui panfletos anônimos no Mineirão fazendo acusações falsas a mim, quem invade o meu site e o derruba, para mim, isso é quadrilha. É crime, tem que ser punido. E não é gente trabalhando isoladamente não, isso é associação criminosa mesmo", disse Lacerda, no debate. Sobre o ataque ao site, a coordenação da campanha atribuiu a ação a uma "estratégia desonesta e anti-democrática dos adversários". Hoje, ao participar de um encontro com estudantes, Lacerda disse ainda que há "quadrilheiro no meio" da campanha adversária. Mais uma vez, Lacerda aproveitou para colar em Quintão, da coligação "Belo Horizonte para Você" (PHS-PMDB), o rótulo de direita. "Sempre que a direita quer fazer uma tramóia, lança documento falso, faz armação de distúrbios. A esquerda não faz isso", afirmou Lacerda, da "Aliança por BH" (PT-PSB-PTB-PP-PR-PV-PMN-PSC-PSL-PTN-PTC-PRP).A estratégia de vincular Quintão à "direita radical" vem sendo explorada pelo candidato socialista desde a semana passada, após o peemedebista declarar que Lacerda foi preso durante o regime militar por ser um "assaltante" comum. Ex-militante comunista, o candidato do PSB aderiu à Aliança Libertadora Nacional e foi preso no final da década de 1960, permanecendo encarcerado durante quatro anos. Julgando-se difamado, Lacerda ajuizou uma interpelação criminal no Supremo Tribunal Federal (STF) para que adversário explique as declarações. Hoje, uma reunião extraordinária - com a presença de militantes e ex-presos políticos, entre eles o prefeito da capital mineira, Fernando Pimentel (PT), e outros apoiadores do socialista - em repúdio à declaração do peemedebista foi realizada pela Comissão de Direitos Humanos da Assembléia Legislativa.PCdoBDesde o último fim de semana Quintão tem aparecido no seu programa eleitoral na TV acompanhado da deputada federal e candidata pelo PCdoB no primeiro turno, Jô Moraes, que concorreu à Prefeitura pela coligação "BH é Você" (PCdoB-PRB). Ao lado do peemedebista e no mesmo estilo informal consagrado por ele, Moraes explicou a opção no segundo turno e pediu votos para Quintão. "Eu tenho coerência, eu fiquei do lado da turma que está junto do presidente Lula", afirmou ela, líder do PCdoB na Câmara dos Deputados."Sinto orgulho de estar aqui com o partido do presidente José Alencar, de estar aqui com o PT coerente, estar aqui com todas aquelas pessoas. Que se tenha uma certeza: elas não vão fazer aliança com quem combate a política do presidente Lula", disse a deputada, se referindo ao PSDB do governador Aécio Neves - que firmou uma aliança com Pimentel e cujo partido apóia informalmente a coligação em torno de Lacerda. "O meu lado é daqueles que garantem a democracia, que não impõem as coisas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.