Kassab quer afastar sua imagem de Pitta e fala de apoio do PSDB

Prefeito disse que a parceria foi 'infelizmente' rompida, com o lançamento da candidatura de Alckmin

da Redação

06 de outubro de 2008 | 13h33

O atual prefeito de São Paulo e candidato à reeleição,  Gilberto Kassab (DEM), ainda tenta desvincular sua imagem da gestão do ex-prefeito Celso Pitta, de quem foi secretário de Planejamento, em 1997. Em entrevista ao jornal SPTV, da TV Globo, nesta segunda-feira, 06, ele lembrou que não acompanhou Pitta até o final do mandato. "Fiquei só o primeiro ano como secretário. Depois segui o meu caminho."   Veja Também:   Especial: Perfil dos candidatos em São Paulo  Galeria de fotos dos candidatos à Prefeitura   Vereador digital: Depoimentos e perfis de candidatos em São Paulo   Tire suas dúvidas sobre as eleições   A afirmação veio em resposta à estratégia de sua concorrente no segundo turno, a petista  Marta Suplicy. Segunda colocada no primeiro turno, ela disse que pretende comparar sua trajetória política à de Kassab para reverter o resultado. "A ex-prefeita sempre procura me associar ao Pitta", disse o candidato do DEM.   Durante o primeiro turno, Geraldo Alckmin (PDSB) também procurou associar a imagem de Kassab à de Pitta e Paulo Maluf, seu antecessor.   Recompondo alianças   Na entrevista, o prefeito disse também que pretende "recompor a aliança" com o PSDB. Mas, segundo o prefeito, a parceria foi "infelizmente" rompida, com o lançamento da candidatura de Alckmin. O tucano ficou em terceiro lugar na disputa. "O PSDB faz parte da nossa base", disse Kassab.   Ele afirmou que pretende primeiro procurar o apoio do partido e, mais tarde, de suas lideranças. O atual prefeito reafirmou que pretende conquistar o apoio da candidata Soninha Francine (PPS). Ele disse que "ficaria muito honrado" com a aliança. "Tenho grande admiração pela candidata Soninha. Me deixaria feliz o seu apoio."   Kassab ressaltou que nenhum partido entrou em contato com o DEM, até o momento, na intenção de fechar uma aliança para o segundo turno. Kassab disse que o candidato tucano, Geraldo Alckmin, também não telefonou para o parabenizar.   O prefeito voltou a dizer que deu continuidade à gestão iniciada pelo governador José Serra (PSDB) quando assumiu a Prefeitura de São Paulo. "O eleitor está colando nossa imagem a um bom gestor, a uma pessoa séria, a uma pessoa que durante os últimos dois anos e meio deu seqüência ao excepcional trabalho iniciado pelo nosso querido governador José Serra e apresentou para a cidade de São Paulo avanços extraordinários na saúde, ensino, combate à poluição."   (Com Anne Warth, da AE)

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.