Kassab promete parceria com Serra e recebe apoio de vereador

Apesar de promessa, prefeito de São Paulo fez campanha às 13h30 no palanque do subprefeito Eduardo Afonso

Carolina Freitas, da Agência Estado

15 de agosto de 2008 | 15h32

O prefeito e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, continua a insistir na parceria com o governador do Estado, José Serra  (PSDB), para pedir votos. Na inauguração de um de seus 60 comitês de campanha, em Ermelino Matarazzo, na zona Leste - reduto da candidata do PT, Marta Suplicy -, Kassab aproveitou uma animada platéia de cerca de 100 pessoas para prometer trabalhar junto com o tucano. "Nosso compromisso é uma parceria com Serra, para fazer o melhor pela cidade e pelo Estado", afirmou Kassab.  Veja também:Perfil de KassabPesquisa Ibope - São PauloGuia do eleitor esclarece dúvidas sobre o pleito  Apesar da promessa de Kassab de que ele e seus subprefeitos e secretários não fariam campanha em horário de expediente, o subprefeito de Ermelino Matarazzo, Eduardo Camargo Afonso, esteve, às 13h30, no palanque do candidato. Serra foi conclamado por Afonso como "companheiro". "Vamos continuar com o prefeito e nosso companheiro José Serra", discursou o subprefeito. "Se o governador aprovou, nós também aprovamos." Questionado se a presença de Serra fazia falta na campanha de Kassab, Afonso admitiu: "Serra ajuda qualquer candidato." O prefeito, por outro lado, garantiu que não se sente em desvantagem sem Serra. "O governador saberá o momento certo de fazer suas manifestações." Na falta do governador, o vereador do PSDB e candidato à reeleição Adolfo Quintas apareceu para "desejar boa sorte" a Kassab, negando que sua presença significasse um apoio ao candidato do DEM. "Eu apóio o meu partido", garantiu, ao lado de dezenas de cabos eleitorais trazidos por ele em duas Kombis para participar do evento de Kassab. O prefeito também se desdobrou para explicar a presença do vereador tucano. "Ele veio desejar boa sorte. É um reconhecimento à boa gestão", disse o prefeito, admitindo que a situação entre os dois partidos é "peculiar e complexa". "Estamos procurando nos equilibrar e respeitar uns aos outros."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.