Kassab participa de evento ao lado de FHC

O prefeito e candidato à reeleição Gilberto Kassab (DEM) participa hoje de um evento ao lado do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, numa demonstração de força para neutralizar a presença constante do presidente Luiz Inácio Lula da Silva na campanha da adversária Marta Suplicy (PT). Fernando Henrique, que no primeiro turno apoiou discretamente o candidato derrotado do PSDB, Geraldo Alckmin, aparecerá pela primeira vez ao lado de Kassab nesta eleição. Ambos vão participar de uma homenagem à ex-primeira-dama Ruth Cardoso, morta em junho, que vai dar nome ao Centro Cultural da Juventude, na Vila Nova Cachoeirinha, zona norte, administrado pela prefeitura. O evento reunirá ainda o governador José Serra (PSDB) e a cúpula tucana.A solenidade havia sido programada para ocorrer no primeiro turno. Foi desmarcada, porém, para evitar maiores constrangimentos ao dividido PSDB, já que caciques do partido apareceriam juntos de Kassab, àquela altura maior rival de Alckmin. Por ser um evento institucional da prefeitura, o candidato tucano não era um dos convidados. O encontro ocorre um dia antes de Lula reaparecer na campanha de Marta. A coordenação do DEM avalia que os eventos com caciques tucanos servem para mostrar que Kassab também tem cabos eleitorais de peso. Mas acreditam igualmente que esse confronto de titãs contribui para a federalização da campanha, desviando o foco do debate municipal, onde apostam que levam vantagem.Ontem, pelo terceiro dia consecutivo, a campanha de Kassab conseguiu direito de resposta perante o Tribunal Regional Eleitoral. Segundo o advogado da campanha do DEM, Ricardo Penteado, a Justiça Eleitoral concedeu mais um minuto a Kassab por causa do comercial, em rádio, que indaga se ele "esconde mais coisas". Nas contas do DEM, com as decisões favoráveis até aqui, Marta vai perder 104 minutos na TV e 102 no rádio, divididos entre todas as emissoras. O PT protestou. Em nota, a campanha de Marta diz que o adversário "usa do ardil da soma dos minutos, em cada veículo de mídia eletrônica, para inflar duas inserções que geraram direito de resposta". As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.