Kassab nega jogo duplo e diz a Dilma que quadro é incerto

Prefeito discute cenário com presidente e admite estar em compasso de espera: 'Todos sabem da minha relação com Serra'

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

16 de fevereiro de 2012 | 03h06

Seis dias depois de receber vaias na comemoração dos 32 anos do PT, o prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab (PSD) foi ontem a Brasília para uma agenda inesperada com a presidente Dilma Rousseff, que o chamou ao Planalto para conversar sobre política. Oficialmente, o prefeito disse que o assunto do tête-à tête foi a dívida de R$ 40 bilhões da Prefeitura com a União.

Na conversa de 50 minutos com Dilma, Kassab afirmou que continua recebendo informações de que José Serra não será candidato porque sua intenção seria disputar a Presidência em 2014. Mesmo assim, o prefeito, aliado do ex-governador, não aposta num cenário definitivo.

Segundo Kassab, é preciso aguardar as "circunstâncias" e a decisão do tucano para definir que rumo o PSD tomará em SP. Apesar de manter a oferta de apoio a Fernando Haddad, candidato do PT, o prefeito não escondeu que está em compasso de espera. "Todos sabem da minha relação com o ex-governador José Serra, que é pública, transparente. A administração foi iniciada por ele." Questionado sobre as conversas com dirigentes do PT e do PSDB, Kassab negou fazer duplo. "Todos sabem que não. O próprio PT entende que a nossa gestão é uma gestão do Serra e do Kassab. Isso não impede o PT de ter conosco alianças, onde existem circunstâncias", afirmou. / TÂNIA MONTEIRO, VERA ROSA e RAFAEL MORAES MOURA

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.