Kassab mantém ataques a adversários de candidato tucano Com Haddad, Marta ouve eleitor dizendo que vai votar nela

Ex-prefeita estreia em eventos de rua na campanha petista; antes, usou o Twitter para criticar Russomanno

BRUNO LUPION, O Estado de S.Paulo

08 de setembro de 2012 | 03h05

A ex-prefeita Marta Suplicy (PT) escolheu o Jardim Ângela, bairro da zona sul de São Paulo onde ela obteve 60% dos votos válidos na disputa municipal de 2008, para estrear sua participação em eventos abertos de campanha do candidato do seu partido à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad. A petista, que já vem aparecendo no horário de TV, boicotou por dez meses a campanha por ter sido preterida na disputa à Prefeitura. Ontem, ouviu até eleitor dizendo que vai votar nela.

Sobre a caçamba de uma caminhonete adaptada, Marta e Haddad percorreram a estrada do M'Boi Mirim. Mais de 50 carros acompanharam a comitiva, complicando o já caótico trânsito local. Os moradores, contudo, não pareciam incomodados e muitos acenavam para Marta.

Em retribuição, Haddad comparou a popularidade da ex-prefeita à de Lula. "Ela tem prestígio similar ao do presidente Lula, sobretudo nas periferias. Será um grande desafio para mim, se eleito, resgatar e honrar o legado que ela deixou", disse.

Dentro do PT, a aparição da ex-prefeita ao lado de Haddad é considerada fundamental para recuperar os votos de simpatizantes do partido que hoje declararam preferir o líder nas pesquisas, Celso Russomanno (PRB).

Integra essa estratégia a declaração de apoio a Haddad, veiculada anteontem, do rapper Emicida, expoente do hip-hop nacional e morador da zona norte.

Durante a entrevista coletiva, um morador se aproximou e disse que iria votar em Marta. Questionada pela reportagem, a ex-prefeita sorriu. "Esse voto é que vai para ele (Haddad). Estamos fazendo isso para esse voto ir para ele", disse.

Marta aproveitou para atacar as gestões de Gilberto Kassab (PSD) e José Serra (PSDB). "Oito anos, com dinheiro (da Prefeitura) no banco, e não aconteceu nada de novo na região", disse.

Mais cedo, Marta já havia disparado no Twitter contra Celso Russomanno (PRB) e Serra.

Sobre o candidato do PRB, Marta disse - sem citar nomes - que era preciso ser mais do que um "defensor do consumidor" para governar a cidade de São Paulo. "É necessário ter experiência, partido e projeto", escreveu na internet.

Já o tucano foi criticado, também de maneira indireta, pelo fato de ter deixado a Prefeitura em 2006 para concorrer ao governo do Estado. "Forma nefasta de governar é não cumprir as promessas, deixar a mediocridade se instalar na cidade e sair antes cumprir o mandato", escreveu.

Hoje, Marta participa de outra carreata ao lado de Haddad, em Parelheiros, também na zona sul. Na segunda-feira, a ex-prefeita fará caminhada no centro com temática feminista ao lado de Haddad e a mulher de Lula, Marisa Letícia. / COLABOROU ISADORA PERON

O prefeito Gilberto Kassab (PSD) aproveitou ontem um evento público para, de uma só vez, criticar o candidato Celso Russomanno (PRB) e a senadora Marta Suplicy (PT). Após o desfile de Sete de Setembro, Kassab disse que Russomanno mostrou "descontrole emocional" e "desconhecimento" sobre a cidade. Para o prefeito, promessas do candidato como ampliação do efetivo da Guarda Civil Metropolitana (GCM) podem elevar os gastos da Prefeitura em R$ 1 bilhão. "Não há recursos. A não ser que o candidato já esteja pensando em aumentar a carga tributária. A gestão anterior, da ex-prefeita, aumentou. Tanto é que ela tinha carinhosamente o apelido", disse Kassab, sem citar o "Martaxa" usado pelo PSDB para criticar a então prefeita. / FELIPE FRAZÃO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.