Kassab lamenta cancelamento de debate da TV Globo

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição pelo DEM, Gilberto Kassab, lamentou hoje o cancelamento do debate que seria realizado pela Rede Globo de Televisão na quinta-feira entre os candidatos que disputam a Prefeitura da capital. "Lamento muito, até porque os debates são muito importantes. Eu compareci a todos. Infelizmente, é um debate a menos para o eleitor paulistano assistir e definir seu voto", disse, após uma caminhada pelo comércio do Rio Pequeno, zona oeste da cidade.Kassab refutou as insinuações do candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, de que os candidatos "nanicos", que não admitiram não participar do debate - o que motivou o cancelamento do evento -, estariam a seu serviço. "Todos sabem que não", limitou-se a dizer. Alckmin - "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC) - e seus apoiadores defendem a idéia de que a insistência desses candidatos não passa de uma manobra para evitar a realização de debates, nos quais consideram que Kassab não tem um bom desempenho.Segundo turnoMais cedo, durante vistoria nas obras da Praça Victor Civita, em Pinheiros, zona oeste de São Paulo, o prefeito reconheceu que dirigentes do PSDB e do DEM, inclusive o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB), têm feito reuniões nos últimos dias, mas negou que o tema seja a definição do apoio de tucanos a Kassab, que ocupa a segunda posição nas pesquisas de intenções de voto, embora empatado tecnicamente com Alckmin. "Não há nenhuma reunião para definir segundo turno. As reuniões são rotineiras. O PSDB e o DEM são aliados e tenho eles (tucanos) inclusive no meu governo", disse.O candidato da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC) admitiu, no entanto, que as reuniões de fato acontecem. "Mas não com foco na minha ida ao segundo turno. Evidente que não. O foco permanente é sempre o esforço para que sejamos aliados em todas as situações possíveis. No primeiro turno não foi possível, no segundo todos nós trabalharemos para estar aliados."Kassab voltou a dizer estar confiante de que irá para o segundo turno, mas ressaltou que seria um desrespeito falar sobre essa etapa nas eleições enquanto o primeiro turno não tiver acabado. Apesar disso, ele se considera preparado para enfrentar a candidata Marta Suplicy - "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB) -, na eventualidade de ir para o segundo turno. "As pesquisas já mostram que a gente pode vencer a candidata do PT. Portanto, eu tenho a tranqüilidade de dizer que estamos bem preparados eleitoralmente e administrativamente. Nossa gestão foi melhor do que a dela. Temos o que mostrar", declarou.RadaresO prefeito explicou ainda que o desligamento dos radares da cidade a partir de hoje ocorreu devido a uma licitação, já concluída, que vai substituir a empresa que administra o sistema, triplicar o número de equipamentos e gerar uma economia anual de R$ 8 milhões. "O secretário municipal de Transportes, Alexandre de Moraes, tem informações que mostram a importância para a cidade dessa licitação, que já está concluída, e o quanto já reduzimos custos. Estamos em fase de implantação dos novos radares. Serão mais radares e mais baratos."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.