Kassab ignora críticas de Alckmin sobre saúde

Candidato do DEM e prefeito afirmou que sua gestão está no caminho certo e citou a pesquisa Ibope

ANNE WARTH, Agencia Estado

29 de setembro de 2008 | 19h06

Ao visitar a Unidade Básica de Saúde (UBS) e Assistência Médica Ambulatorial (AMA) Vila Califórnia, na zona leste de São Paulo, o prefeito e candidato à reeleição,   Gilberto Kassab (DEM), ignorou as críticas de  Geraldo Alckmin (PSDB) a respeito da saúde. "O importante na área da saúde é a avaliação dos usuários", disse. Kassab afirmou que sua gestão está no caminho certo e citou a pesquisa Ibope, segundo a qual 91% dos usuários da cidade aprovam o atendimento prestado pelas AMAs, e a pesquisa Datafolha, que apontou que 50% dos entrevistados consideram seu governo ótimo ou bom.   Veja também: Contra Marta, PSDB admite apoiar Kassab no 2º turno     Alckmin e Kassab polarizam debate por 2º turno com Marta Blog: Leia os principais pontos do debate na Rede Record  Galeria de fotos dos candidatos no debate  Ibope: Confira os números da pesquisa  Análise: Marqueteiro aponta polarização na reta final da disputa em São Paulo  Enquete: Quem ganha com a briga dos dois?  Perfil dos candidatos de SP  O candidato, que ultrapassou Alckmin - coligação "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC) - e está em segundo lugar nas pesquisas de intenção de voto, evitou cantar vitória antes da hora e falar sobre o recebimento de apoio se estiver no segundo turno. "Toda eleição é muito difícil e o primeiro turno ainda não acabou. Ainda é muito cedo, faltam seis dias para o primeiro turno e só então falaremos de segundo turno. É até um desrespeito com o eleitor. Mas a avaliação é um estímulo muito grande para que continuemos no caminho tracejado. Estou muito confiante."Kassab, da coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC), afirmou que a decisão a respeito das alianças no segundo turno cabe aos dirigentes dos partidos. Apesar disso, ele lembrou que PSDB e DEM são aliados históricos e que juntos fazem oposição ao governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).Logo que chegou, o prefeito simulou o atendimento da UBS/AMA Vila Califórnia como se fosse um usuário. Deu entrada na unidade, pediu uma segunda via do cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), se consultou com um clínico geral, recebeu os remédios indicados pelo médico e foi encaminhado para um pneumologista. Ele marcou a nova consulta para o dia 10 de outubro, no Instituto do Câncer. Kassab brincou que foi diagnosticado com "eleitorite aguda".ProtestoMais cedo, em caminhada no Bom Retiro, zona central de São Paulo, eleitores tentaram atingir o prefeito com ovos. Apenas a jaqueta dele ficou levemente suja, mas Kassab minimizou o ocorrido. "Fomos muito bem recebidos. Uma manifestação ou outra enrolada a gente compreende", afirmou.

Mais conteúdo sobre:
eleiçõesSPSão Paulo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.