Kassab fez propaganda e se apropria de obras, acusa Marta

Alvo das críticas de Marta é o programa de Kassab, que afirmou que ele está construindo escolas em Heliópolis

Carolina Ruhman, da Agência Estado

09 de setembro de 2008 | 18h59

A campanha de Marta Suplicy (PT) à Prefeitura de São Paulo acusou seu adversário do DEM, o atual prefeito Gilberto Kassab, de fazer propaganda enganosa e de se apropriar de obras do governo estadual, administrado pelo tucano José Serra. Em nota enviada à imprensa, o coordenador da campanha da petista, deputado federal Carlos Zarattini (PT-SP), atacou a "propaganda enganosa e a mistificação da campanha de Gilberto Kassab, que dia após tentar fazer o eleitor acreditar numa cidade da fantasia, bem distante da São Paulo real, que vive o caos do transporte, o descaso com a saúde e a baixa qualidade da educação". O alvo das críticas da campanha de Marta é o programa de Kassab, veiculado ontem, que afirmou que ele está construindo escolas técnicas em Heliópolis, Tiquatira e Cidade Tiradentes. "A verdade é muito diferente", acusou Zarattini. Segundo ele, as escolas estão sendo construídas pelo governo do Estado e serão gerenciadas pelo Centro Paula Souza. Ele afirmou que a obra da escola de Heliópolis foi anunciada pelo governo estadual em 12 de julho do ano passado e que no caso das outras duas escolas, a Prefeitura "deu apenas a permissão de uso do solo onde serão construídas". O coordenador da campanha de Marta acusou Kassab também de fechar cursos técnicos, "como aconteceu recentemente na Escola Municipal Derville Allegretti, o que foi noticiado pela imprensa". Ele afirmou que Kassab "fechou o curso de secretariado e deixou de oferecer novas matrículas para técnicos em prótese dentária". A campanha de Kassab rebateu as acusações de Marta, afirmando que sua gestão é parceira do governo estadual e que possui "competência administrativa", o que "desagrada a campanha de Marta". "Como a própria nota do PT reconhece, a gestão Kassab é parceira na abertura de 16.000 vagas de ensino técnico no ano que vem, cedendo terrenos ou abrigando as escolas dentro dos próprios CEUs. Isso é competência administrativa para oferecer ensino profissionalizante, realização que desagrada à campanha da Marta, mas é aprovada pela população da cidade, como mostram as pesquisas", respondeu a campanha de Kassab, em nota para a imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.