Kassab empata com Alckmin e Marta lidera, aponta Datafolha

Atual prefeito atinge 18% das preferências enquanto tucano cai de 24% para 22%; Marta chega a 40%

Carlos Marchi, de O Estado de S. Paulo,

06 de setembro de 2008 | 13h02

Pela primeira vez os candidatos Geraldo Alckmin (PSDB) e Gilberto Kassab (DEM) aparecem tecnicamente empatados na disputa pela Prefeitura de São Paulo, segundo pesquisa Datafolha divulgada nesta sábado pela TV Globo. Na sondagem, a candidata Marta Suplicy (PT) segue liderando, com 40% das intenções de voto, Alckmin aparece em segundo lugar com 22% e Kassab tem 18%. Como a margem de erro é de 3 pontos porcentuais, há empate técnico entre os dois.   Veja também: Paes sobe oito pontos e passa Crivella no Rio, aponta Datafolha Lacerda dobra desempenho e dispara em BH, diz Datafolha Em Recife, petista tem 45% das intenções de voto Especial tira dúvidas sobre as eleições    Veja as regras para as eleições municipais   Em relação à pesquisa anterior, divulgada no fim de semana passado, Marta oscilou 1 ponto e Kassab 2 pontos, ambos para mais; já Alckmin oscilou 2 pontos para menos. O histórico da pontuação obtida pelos candidatos nas quatro últimas verificações revela Alckmin em tendência de queda - tinha 32% em fins de julho e depois, sucessivamente, 24%, 24% e agora 22%. Já Kassab mostra tendência de alta - tinha 11%, oscilou para 14%, para 16% e, agora, chegou a 18%. Há dois meses, Alckmin tinha 21 pontos de vantagem sobre o atual prefeito.   A pesquisa consultou 1.091 eleitores nos dias 4 e 5 de setembro, com margem de erro de 3 pontos porcentuais.   Segundo turno   As simulações de segundo turno revelaram relativa estabilidade na intenção de votos dos três principais candidatos. No enfrentamento de Marta contra Alckmin, houve empate de 47% (na semana passada, o empate se deu em 46% para cada um). No embate de Marta contra Kassab, a ex-prefeita aparece com 50% (49% na semana passada) e o atual prefeito computou 43% (41% na semana passada). Já na disputa de Alckmin contra Kassab os números não se alteraram - o ex-governador venceria por 52% a 34%.   A pesquisa revelou que, num eventual segundo turno contra Marta, Alckmin herdaria o voto de 78% dos eleitores de Kassab no primeiro turno; 17% deles, no entanto, declaram que votariam na petista. Num segundo turno entre Kassab e Marta, o atual prefeito também ficaria com 72% dos eleitores do tucano. Já 20% dos eleitores de Alckmin dariam seu segundo voto a Marta.   Mas se o segundo turno for entre Alckmin e Kassab, o ex-governador receberia o voto de 53% dos que agora prometem votar em Marta; 28% dos eleitores petistas no primeiro turno dariam seu voto, no segundo turno, ao atual prefeito.   Rejeição   A tendência de ascensão da candidatura de Kassab também é demonstrada em nova oscilação favorável de sua taxa de rejeição. Há duas semanas, 32% dos eleitores paulistanos declararam que não votariam no atual prefeito de jeito nenhum; na semana passada, a rejeição caiu para 26%; esta semana, uma oscilação para baixo retraiu a rejeição para 24%.   A rejeição de Marta continua alta. Na semana passada, 32% declararam que não votariam nela de jeito nenhum. Esta semana o índice se manteve inalterado. Alckmin, que tem a mais baixa rejeição desde o começo da campanha, continua no mesmo patamar: os 18% que lhe negavam o voto na semana passada agora são 17%, numa leve oscilação.   Pesquisa espontânea   Na pesquisa espontânea, em que o eleitor cita um candidato sem estímulo, 30% mencionaram Marta (28% na pesquisa anterior), 15% disseram Alckmin (mesmo índice anterior) e 13% citaram Kassab (12% na anterior). O total de indecisos caiu de 32%, na pesquisa anterior, para 28% agora; os que votam em branco ou pretendem anular o voto são 5% (eram 7% na anterior).

Tudo o que sabemos sobre:
Datafolhaeleições 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.