Kassab e Marta renovam ataques em debate

O confronto entre policiais civis e militares, de um lado, e a polêmica propaganda de Marta Suplicy (PT) que sondou a vida pessoal do prefeito Gilberto Kassab (DEM), de outro, serviram de munição para os finalistas na corrida eleitoral paulistana, ontem à noite, na TV Record. Em um debate pontuado por mais ataques que propostas, característica que já despontava nos quatro embate anteriores na TV, a criação de taxas também alimentou o tiroteio - Kassab duvidou da promessa de Marta de não criar impostos. Já a petista assegurou que ele está prestes a instituir o pedágio urbano.Na primeira pergunta, sobre a crise entre as Polícias Civil e Militar, que culminou em enfrentamento, na quinta-feira, os dois já divergiram. O prefeito rebateu declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva de que o governador José Serra (PSDB) lhe devia desculpas por ter acusado o PT. ?Lula fez essa manifestação no ambiente partidário. Como presidente, se quiser pormenores, vai ligar para o governador, ponderar?, disse ele. Marta voltou a frisar a sua ?indignação? com Serra: ?Achei que foi uma manifestação eleitoral.? Os dois também acusaram-se de deixar a cidade ?falida? e ?arrasada?. Digladiaram-se sobre o ?cheque-despejo?. Ela reiterou que Kassab foi e ainda é aliado do ex-prefeito Celso Pitta. O atual prefeito lembrou o episódio do mensalão e rememorou os seus personagens. Ela, várias vezes, admitiu equívocos: : ?Errei (ao criar taxas), peço desculpas.? Ele também: ?Tenho cuidado de mostrar o que deixamos de fazer.?

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.