Kassab e Alckmin disputam paternidade de AMAs

Embate começou quando prefeito contestou afirmação feita pelo programa eleitoral de Geraldo Alckmin

Carolina Freitas e Wellington Carvalho, da Agência Estado

21 de agosto de 2008 | 19h54

A área de saúde foi mais uma vez o motivo para troca de farpas entre os candidatos a prefeito de São Paulo Gilberto Kassab (DEM) e Geraldo Alckmin(PSDB). Ex-aliados, os dois disputaram nesta quinta-feira, 21,  os créditos pela criação das unidades de Atendimento Médico Ambulatorial (AMA). Na terça-feira, a discussão fora por causa do número de médicos contratados por Kassab.  Veja também:Você vai acompanhar o horário eleitoral para definir seu candidato ?  Veja a íntegra da última pesquisa  Multimídia: Perfil dos candidatos  Guia tira dúvidas do eleitor    O embate começou quando o prefeito contestou a afirmação feita  pelo programa eleitoral de Alckmin de que o tucano participara da criação das AMAs. "As AMAs foram desenvolvidas por mim e pelo governador José Serra (PSDB)", afirmou Kassab, depois de vistoriar obras em Heliópolis, zona Sul da cidade. Alckmin, após evento da Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), na zona Sul, rebateu: "Quando Serra assumiu a Prefeitura, pensamos em uma solução para aliviar os prontos-socorros", disse. "Até o nome fomos nós que demos. Quando fui prefeito (de Pindamonhangaba) fiz o AME e aí aqui ficou AMA." Kassab negou a participação de Alckmin na criação dos centros de saúde de sua gestão: "Se Alckmin quisesse ter feito AMAs, teve 12 anos (no governo do Estado) para isso. Poderia ter feito as 115 unidades que fizemos." O ex-governador, por sua vez, questionou a prioridade dada às AMAs pela atual gestão. "A AMA ajuda na urgência, mas para o sistema de saúde funcionar bem precisa de atendimento primário, das Unidades Básicas de Saúde (UBS), Programa Saúde da Família e centros de especialidades", disse Alckmin. Mais que as AMAs, os ex-aliados disputam a atenção de Serra, que defendeu a candidatura de Kassab e a manutenção da aliança PSDB-DEM, mas ontem (20) apareceu no programa de TV de Alckmin, em um depoimento de apoio. Kassab, que usou imagens suas ao lado de Serra na TV, disse não ter se ofendido com o aparecimento do governador no programa tucano. "Alguém duvida da estima que o governador tem por mim e do orgulho que tem da nossa gestão?" Leite em casa  Kassab aproveitou a polêmica criada pelo PT por sua campanha ter mostrado na TV a marca do leite distribuído às crianças nas escolas municipais para anunciar que pretende implantar um programa para entregar o alimento na casa das famílias dos alunos. Segundo o prefeito, já há um contrato em negociação com os Correios para entrega do alimento, que deve começar no início de 2009. O partido da adversária Marta Suplicy teve ontem (20) negada representação contra Kassab pelo uso da marca do leite, mas recorreu. "Esse leite está incomodando o PT porque é muito bom", disse Kassab. "O PT tinha que estar feliz porque as crianças estão recebendo um leite de qualidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.