Kassab diz que seu governo 'também é tucano'

Prefeito e candidato do DEM disse ter muito orgulho das realizações de seu governo

ANNE WARTH, Agência Estado

24 de setembro de 2008 | 18h27

O prefeito de São Paulo e candidato à reeleição, Gilberto Kassab (DEM), disse nesta quarta-feira, 24, ter muito orgulho das realizações de seu governo, que "também é tucano, sim". "Evidente que eu tenho muito orgulho e é um governo também tucano, sim. Está aqui um exemplo: um grande secretário, hoje um amigo, um colega de trabalho e que conosco tem o orgulho de apresentar à cidade de São Paulo realizações tão expressivas no campo da saúde", disse ele, referindo-se ao secretário municipal de Saúde, o tucano Januário Montone.      Veja também: Veja a cronologia da briga entre Alckmin e Kassab Especial: Perfil dos candidatos  Blog: propostas dos candidatos de São Paulo na sabatina do 'Grupo Estado' Marta tem 37%; Alckmin e Kassab estão empatados, diz pesquisa Ibope: Veja números das últimas pesquisas  Quem ganha com a troca de acusações entre Geraldo Alckmin e Gilberto Kassab?  Ao visitar a Unidade Básica de Saúde Jardim Guairacá, na zona leste, o prefeito exaltou investimentos no setor, como construção de unidades da Assistências Médicas Ambulatoriais (AMAs) e hospitais, programas como o Mãe Paulistana e Remédio em Casa, a informatização do sistema de distribuição de medicamentos e as parcerias com instituições públicas e privadas.Ao citar a aprovação de seu governo, cuja avaliação como ótimo ou bom chegou a 50% na última pesquisa Datafolha, ele comentou que vive um momento muito feliz em sua gestão e voltou a citar o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), e o apoio do PSDB. "Divido essa alegria com Serra, com a equipe que temos e com os partidos aliados, como o DEM, PSDB, PPS e PV."Confrontado pela população e pela imprensa sobre os problemas existentes no sistema de saúde, Kassab criticou sua adversária, a ex-prefeita Marta Suplicy - "Uma Nova Atitude para São Paulo" (PT-PCdoB-PDT-PTN-PRB-PSB) -, que governou a cidade na gestão anterior. "Temos feito visitas surpresa para identificar problemas. Problemas nós sabemos que tem e estamos aqui para resolvê-los. Tinha mais problemas no início da gestão. Evidente que melhorou, falta muito para melhorar, mas o importante é que hoje é bem melhor do que quatro anos atrás."Já as críticas do candidato Geraldo Alckmin, da "São Paulo, na Melhor Direção" (PSDB-PTB-PHS-PSL-PSDC), a respeito da saúde não foram alvo de comentários, tampouco o eventual apoio do tucano caso Kassab esteja no segundo turno. "Nosso objetivo agora é o primeiro turno." Questionado sobre se havia assumido uma postura defensiva diante dos ataques do adversário, ele respondeu: "Não existe nem ataque nem defesa, existem propostas. Não estou travando embate com ninguém."Mais cedo, o prefeito, candidato pela coligação "São Paulo no Rumo Certo" (DEM-PR-PMDB-PRP-PV-PSC), foi ao Parque do Ibirapuera para conferir a exposição Memórias e Caminhos do Transporte Coletivo, com bondes, ônibus e trólebus de 1890 até hoje. ÔnibusKassab entregou também 16 novos ônibus para o sistema de transporte público. Segundo dados da Secretaria Municipal de Transportes, desde 2005 foram investidos R$ 1,5 bilhão em 6,1 mil novos ônibus, que reduzem em 50% as emissões de gases - metade deles acessíveis para portadores de necessidades especiais. A frota, que totaliza 15 mil ônibus, atingiu 41% de renovação e idade média de cinco anos e oito meses.Mais uma vez, ele aproveitou para criticar as ações da gestão anterior, da ex-prefeita Marta Suplicy. "Tenho afirmado a todo momento que o nosso compromisso é fazer corredores como devem ser feitos: corredores com áreas de ultrapassagem e pontos de parada, sem cruzamento, para que o tempo de viagem seja curto, e para que as pessoas sejam incentivadas a utilizar o transporte público. A saída para São Paulo é corredor de ônibus e metrô", disse."Vocês sabem o que eu tenho dito em relação a corredores: você não pode pegar uma avenida, isolar uma faixa com tachão e falar que aquilo é corredor", disse ele, em referência aos corredores construídos na gestão petista.Se reeleito, Kassab promete implantar dois novos corredores de ônibus, na zona sul e na zona norte da cidade, que totalizam 70 quilômetros, e finalizar os atuais - o corredor Expresso Tiradentes, com 32 km, entre o Parque Dom Pedro e a Cidade Tiradentes, e corredor Celso Garcia, com 30 km, entre o centro e Itaim Paulista, ambos na zona leste. PromessasKassab sugeriu que Marta não cumprirá a promessa de construir 200 quilômetros de corredores de ônibus se for eleita. "Na gestão anterior, a ex-prefeita assumiu uma série de compromissos, como investir no metrô, acabar com as escolas de lata, construir hospitais, e não cumpriu esses compromissos. Não vou questioná-la, cabe a ela apresentar suas propostas. Eu vou apresentar as minhas e o eleitor definir qual proposta tem mais credibilidade para ser implantada na cidade.""Não vou aqui dizer que a campanha dela fala ou não fala a verdade. Estou apenas lembrando as propostas que ela assumiu na gestão anterior e não cumpriu. As propostas que assumimos cumprimos todas", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.