Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Justiça nega pedido de coligação de Sartori para suspender divulgação de pesquisa Ibope no RS

Aliança do emedebista candidato à reeleição ao governo gaúcho pedia a suspensão da divulgação do último levantamento deste 2º turno, agendada para o sábado (27)

Filipe Strazzer , O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2018 | 20h07

PORTO ALEGRE - A Justiça Eleitoral do Rio Grande do Sul negou o pedido da coligação encabeçada pelo candidato à reeleição ao governo gaúcho nas eleições 2018, José Ivo Sartori (MDB), para a suspensão da divulgação de pesquisa Ibope agendada para este sábado, 27. A aliança afirmava haver “divergências razoáveis” com relação a pesquisas anteriores do instituto, o que colocava em dúvida as sondagens.

No indeferimento, o juiz auxiliar Rômulo Pizzolatti afirmou que “as críticas apresentadas não autorizam nenhum convencimento judicial sobre a existência de qualquer mácula nas pesquisas divulgadas pelo Ibope em 17 e 23 de outubro de 2018, ou, por extensão, naquela que alegadamente será divulgada em 27 de outubro”.

Segundo a coligação de Sartori, 35 das cidades sorteadas para as duas sondagens anteriores realizadas pelo Ibope no segundo turno, divulgadas em 17 e 23 de outubro, coincidiram. Para a aliança do emedebista, esse fato teria gerado “distorção” no resultado. No primeiro levantamento, 63 cidades foram pesquisadas, no seguinte, foram 70, segundo o MDB. 

Sobre essa alegação específica, o juiz respondeu em sua decisão. "A lei eleitoral não determina que cada pesquisa se valha de informações coletadas em municípios diferentes, ou em municípios com esta ou aquela população, ou em municípios que não se repitam em pesquisas posteriores, etc". 

A coligação do candidato à reeleição também pedia a proibição da divulgação dos resultados das pesquisas dos dias 17 e 23 de outubro - o que foi negado pelo magistrado. O juiz, no entanto, acatou o pedido da aliança acerca da alegação de que o Ibope não teria fornecido todas as informações sobre os levantamentos a pedido do MDB. O instituto terá dois dias para se pronunciar sobre essa decisão em específico.

A pesquisa do dia 17 de outubro, que mostrou Eduardo Leite (PSDB) com 59% dos votos válidos e Sartori com 41%, foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo RS-01741/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-08755/2018.

O levantamento divulgado no dia 23 de outubro indicou Leite com 60% das intenções de voto, ante 40% de Sartori. A pesquisa foi registrada no Tribunal Regional Eleitoral sob o protocolo RS-07227/2018 e no Tribunal Superior Eleitoral sob o protocolo BR-06645/2018.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.