Marcelo Camargo
Marcelo Camargo

Justiça Eleitoral determina que Requião remova publicação de pesquisa em rede social

Texto já foi retirado do ar; decisão atendeu pedido do PSDB, do também pré-candidato ao Senado Beto Richa

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

12 Julho 2018 | 22h31

CURITIBA - Em uma das primeiras decisões da Justiça Eleitoral do Paraná envolvendo a disputa entre pré-candidatos das eleições 2018, o senador Roberto Requião (MDB), que pretende a reeleição, teve que retirar de sua página no Facebook uma postagem sobre uma pesquisa eleitoral que o coloca na frente de outros pré-candidatos do Estado.

A decisão foi proferida nesta quarta-feira, 11, pela juíza eleitoral Graciane Valle Lemos, atendendo a pedido do PSDB, do também pré-candidato ao Senado, o ex-governador Beto Richa. A defesa de Requião não quis comentar a decisão e a publicação já foi retirada do ar.

++ Marina Silva diz que partidos do centrão são os 'atravessadores do sonho brasileiro'

Segundo entendeu a magistrada, a postagem do emedebista não atendeu a requisitos da lei eleitoral para divulgação de resultados de pesquisas de intenção de voto. Não havia na publicação, por exemplo, indicação a margem de erro da pesquisa, do nível de confiança, do número de entrevistas, nem do número de registro da pesquisa.

++ Mesmo sem uma decisão do PSB, governador de Pernambuco anuncia apoio a Lula

"Verifica-se que, num curto espaço de tempo, a divulgação alcançou mais de cinco mil visualizações o que evidencia a possibilidade de prejuízo de difícil reparação, na medida em que desiguala, de maneira infundada, os possíveis candidatos ao cargo de Senador da República, perfazendo-se, no caso concreto, o perigo de dano", afirmou a juíza. Se a postagem voltar a ser reproduzida na página, Requião pode sofrer multa de R$ 500 mil, segundo a decisão da magistrada. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.