Jonas Oliveira/Governo do PR
Jonas Oliveira/Governo do PR

Justiça Eleitoral determina que governo do Paraná tire do ar publicidade irregular

Juiz considerou que  as notícias veiculadas em página do governo enaltecem feitos da governadora Cida Borghetti (PP), pré-candidata à reeleição; governo diz que peças têm interesse público

Katna Baran, O Estado de S.Paulo

27 Julho 2018 | 18h43

A Justiça Eleitoral determinou liminarmente que o governo do Paraná exclua de páginas institucionais na internet publicações proibidas durante o período eleitoral. A decisão, desta quinta-feira, 27, é do juiz eleitoral Ricardo Augusto Reis de Macedo, e atende ao pedido do PSD, do pré-candidato ao governo Ratinho Junior, atingindo a governadora Cida Borghetti (PP).

O pedido questionou conteúdos publicados em várias páginas de secretarias e órgãos do governo estadual. O juiz considerou as publicações como propaganda irregular, ou seja, que afetam a igualdade de oportunidades entre os candidatos no pleito. Para ele, “além de não expressarem conteúdo informativo ou educativo, (as publicações) não apresentam nenhuma relevância à população”. “As notícias veiculadas expressam propaganda institucional, em que se enaltecem os feitos do Governo, perpetrada em período vedado”, escreve.

O magistrado determinou a retirada do material do ar no prazo de 24 horas, sob pena de multa de R$ 5 mil por dia de descumprimento. Apesar de já ter retirado as publicações dos sites, o governo do Estado diz que vai recorrer da decisão, considerando que as publicações possuem “interesse público na garantia do acesso à educação, e à saúde da população”.

Em nota, a assessoria de Cida alega que as publicações questionadas não possuem “qualquer traço de caráter eleitoral ou promoção pessoal” e que não há, sequer, menção ao nome de Cida Borghetti nos textos. Ainda segundo a nota, a maioria dos informes questionados trata de atos de convocação e alertas a população sobre cursos educativos e na área da saúde. “Tais informes têm efetivo interesse público, para promoção da saúde e da educação."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.