Justiça do DF nega liberdade a Cachoeira

O contraventor Carlinhos Cachoeira seguirá na penitenciária da Papuda, em Brasília, decidiu ontem o desembargador Sérgio Bittencourt, do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios (TJDFT). Bittencourt rejeitou pedido de liberdade a Cachoeira, um dia depois de a defesa ter conseguido derrubar o decreto de prisão referente à Operação Monte Carlo, que investiga indícios de corrupção, tráfico de influência, lavagem de dinheiro e exploração de jogos ilegais em Goiás e no DF. Cachoeira está preso desde o dia 29 de fevereiro.

BRASÍLIA, O Estado de S.Paulo

17 de junho de 2012 | 03h02

A decisão de sexta-feira, do desembargador Tourinho Neto, do Tribunal Regional Federal da 1.ª Região, que concedeu liberdade ao contraventora, segue sem efeito prático com a rejeição do pedido de habeas corpus de ontem, que dizia respeito à Operação Saint-Michel, que desbaratou um esquema voltado para fraudar licitação da bilhetagem eletrônica no transporte público do Distrito Federal.

"Não se pode olvidar o fato das investigações mostrarem ser o paciente o líder de uma organização criminosa com complexas relações ilícitas, que envolvem autoridades de grande influência em Poderes da República, o que justifica a manutenção da prisão para a garantia da ordem pública", alega Bittencourt na decisão.

Até o fechamento desta edição, a defesa de Cachoeira não havia atendido à reportagem.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.