Juiz nega resposta a Haddad no caso do 'bilhete mensaleiro'

A Justiça negou a Fernando Haddad (PT) um pedido de direito de resposta contra José Serra (PSDB), que chamou de "mensaleiro", em seu programa de rádio, o projeto petista de criação do Bilhete Único Mensal. Para o juiz Marco Antônio Vargas, a expressão "não pode ser tida como ofensiva à imagem" de Haddad.

O Estado de S.Paulo

28 de agosto de 2012 | 03h10

Os advogados de Haddad afirmavam que o programa tucano veiculado no rádio na sexta-feira usou o termo para associar o candidato do PT ao julgamento do mensalão - que tem ex-dirigentes do partido como réus. A equipe de Serra alegou que a mensagem era "humorística".

O Ministério Público Eleitoral havia concordado com o pedido de Haddad, mas a Justiça não acompanhou o parecer. "Em momento nenhum a propaganda em questão traz ofensas aos representantes", afirma o juiz. / B.B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.