Juiz eleitoral nega liminar do Google e manda prender executivo no País

O Tribunal Regional Eleitoral do Mato Grosso do Sul (TRE-MS) negou no sábado pedido de liminar do Google Brasil na ação movida pelo candidato a prefeito de Campo Grande Alcides Bernal (PP), que pedia a retirada de vídeos que considerou ofensivos do site YouTube - mantido pelo Google. O juiz Amaury da Silva Kuklinski determinou o cumprimento da decisão da 35.ª Zona Eleitoral, que tinha determinado a prisão do executivo da empresa no País, Fábio José Silva Coelho, por crime de desobediência, e suspendido o acesso aos sites YouTube e Google por 24 horas no Estado. O motivo é que os administradores dos sites não haviam removido os links de acesso aos vídeos contra Bernal. "Conquanto seja um espaço livre e democrático, o uso indevido da internet, na esfera eleitoral, deve ser coibido", escreveu Kuklinski. A assessoria de imprensa do Google afirmou que a empresa está recorrendo e argumenta não ser responsável pelo conteúdo postado no site, que é considerado uma plataforma.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.