André Dusek/Estadão
André Dusek/Estadão

Jucá diz que posicionamento de Marun é de 'cunho pessoal'

Presidente nacional do MDB afirmou que posição de Marun, que propunha 'leniência' a caixa 2 e chamou Ciro Gomes de 'débil mental' não representam a visão do partido

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2018 | 12h53

O presidente nacional do MDB, senador Romero Jucá (RR), usou as redes sociais para afirmar que as opiniões do ministro Carlos Marun (Secretaria de Governo) distribuídas em mensagem a parlamentares do partido não representam o posicionamento oficial da legenda e são de "cunho pessoal".

No domingo, 22, Marun enviou um texto a lideranças propondo uma forma de "leniência" ao caixa 2 praticado em eleições passadas e recomendou o fim da gratuidade total aos pacientes no Sistema Único de Saúde (SUS). Além disso, afirmou que o governo vetou o apoio do Centrão a Ciro Gomes (PDT), chamando o presidenciável pedetista de "débil mental".

Após a mensagem ser revelada, Marun divulgou uma nota afirmando que não teria usado a expressão se soubesse que se tornaria pública. No Twitter, Jucá desautorizou Marun ao dizer que os posicionamentos defendidos pelo ministro não são os do partido.

"O ministro Marun é um membro ilustre do nosso partido, mas as suas posições são de cunho pessoal e não representam o posicionamento do MDB. A nossa proposta para as eleições é clara", escreveu o senador.

O presidente da legenda reforçou que os documentos Ponte para o Futuro, elaborado em 2015, e Travessia Social, de 2016, definem as bases de propostas do partido e, no período eleitoral, o pré-candidato à Presidência Henrique Meirelles é o porta-voz dos posicionamentos do MDB. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.