José Fogaça e Maria do Rosário fazem debate morno

O primeiro dos cinco debates que acontecerão na última semana de campanha dos candidatos prefeitura de Porto Alegre transcorreu sem nenhum incidente. O candidato à reeleição José Fogaça (PMDB) queixou-se de ter sido chamado de autoritário pela sua oponente, Maria do Rosário(PT) e creditou a maioria dos problemas da cidade aos 16 anos da administração do Partido dos Trabalhadores interrompidos pela sua eleição em 2004. Já a candidata Maria do Rosário criticou a falta de ação da atual administração nas mais variadas áreas.Militantes das duas coligações ficaram na frente da TV Record de Porto Alegre, mas o clima foi tranqüilo, não havendo agressões de nenhuma das partes. No estúdio somente foi permitida a presença dos dois candidatos e um assessor para cada um deles, assistiram ao debate 30 convidados dirigentes de campanha dos dois lados da disputa além de jornalistas e fotógrafos que terminaram por lotar o local.O encontro ocorreu depois que a última pesquisa do Ibope, divulgada pelo Jornal Zero Hora dava uma vantagem de 16 pontos para o candidato à reeleição, com 54% das intenções de voto, contra 38% da candidata da Frente Popular. Um dos coordenadores da campanha chegou a anunciar momentos antes do programa que esta diferença representava cerca de 70 mil votos e que poderiam ser revertidos com uma postura mais agressiva da candidata. No entanto a agressividade anunciada não aconteceu, pelo menos no debate deste domingo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.