Tiago Queiroz/Estadão
Tiago Queiroz/Estadão

Joice barra ‘bolsonaristas’ e escolhe empresário como vice

O empresário Ivan Leão Sayeg, herdeiro da Casa Leão Joalheria, será companheiro de chapa da deputada

Pedro Venceslau, O Estado de S.Paulo

02 de setembro de 2020 | 11h05
Atualizado 02 de setembro de 2020 | 18h36

Candidata do PSL à Prefeitura de São Paulo, a deputada Joice Hasselmann resistiu à pressão da ala bolsonarista do partido e escolheu como candidato a vice o empresário Ivan Leão Sayeg, herdeiro da Casa Leão Joalheria.

A definição ocorreu no momento em que o deputado Luiz Philippe de Orleans e Bragança (PSL-SP), aliado do presidente Jair Bolsonaro, passou a pleitear a vaga – a escolha de seu nome seria um gesto de reaproximação do PSL com o Palácio do Planalto, na avaliação de bolsonaristas. 

“Ivan é um paulistano da gema, conhece cada canto dessa cidade, tem o sonho de consertar cada ruela abandonada. Ele entende de cidade e entende de São Paulo, que é um país. Tem energia, é lavajatista como eu, luta contra corrupção, e vai complementar a chapa como ninguém”, disse Joice. 

O nome preferido da deputada, entretanto, era o economista Marcos Cintra. Ex-secretário da Receita Federal de Bolsonaro, Cintra também rompeu com o presidente e se manteve no PSL. Na entrevista coletiva após convenção da legenda, na segunda-feira, a candidata chamou Cintra de “meu posto Ipiranga”. Trata-se de uma referência ao apelido dado pelo presidente, durante a campanha, ao seu hoje ministro da Economia, Paulo Guedes. Cintra será o coordenador do programa de governo e vai disputar uma vaga de vereador na capital. 

Filiado ao PSL, Sayeg também estava na lista de candidatos a vereador. A ideia de convidá-lo para ser vice faz parte de uma estratégia de criar pontos de referência de Joice com a capital e evitar o rótulo de novata na cidade. A deputada é paranaense e mudou-se para São Paulo em 2014 para trabalhar como jornalista na revista Veja.

Para Entender

Calendário Estadão

As datas, definições partidárias, candidaturas e a cobertura especial do jornal das campanhas pelo País e nos Estados Unidos

A família Leão Sayeg chegou ao Brasil em 1912, vinda de Alepo, na Síria. O patriarca, Leão Sayeg, construiu a joalheria que hoje é comandada por Lydia Sayeg, irmã de Ivan. Ela ficou conhecida do público após participar do programa de TV Mulheres Ricas. Lydia e o irmão são amigos do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro. A militância deles em defesa da Lava Jato também pesou na decisão de Joice na escolha de seu vice.

Covas adia escolha do vice

Pré-candidato à reeleição, o prefeito Bruno Covas (PSDB) decidiu adiar a escolha do candidato a vice até que todas a legendas aliadas realizem suas convenções. O DEM foi o primeiro a oficializar apoio à candidatura do tucano, na segunda-feira passada. 

A negociação entre o PSDB e o Republicanos, partido do deputado de Celso Russomanno, esfriou. Covas está sendo pressionado por aliados que querem indicar o candidato a vice, mas o prefeito tem dito que prefere fazer uma chapa pura, ou seja, com outro tucano. 

Marta Suplicy (Solidariedade), por sua vez, segue negociando com Covas, mas o presidente do Solidariedade, o deputado Paulinho da Força, diz que gostaria de lançar a ex-prefeita na cabeça da chapa, para ajudar no desempenho dos candidatos a vereador. Marta tem defendido, porém, a tese de formar uma “frente ampla” contra Bolsonaro. Nesse cenário, a aliança com o PSDB seria o primeiro passo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.