Jefferson Rudy/Agência Senado | Governo do Estado de São Paulo
Jefferson Rudy/Agência Senado | Governo do Estado de São Paulo

João Doria recebe senadora cotada para vice

A senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) recebeu o convite do governado de São Paulo para participar de uma reunião com os secretários paulistas; aproximação entre os políticos faz parte da negociação entre PSDB e Cidadania para uma federação

Redação, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2022 | 16h50

O pré-candidato do PSDB à Presidência, João Doria, recebeu a senadora Eliziane Gama (Cidadania-MA) nesta segunda-feira, 7, no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. Eliziane é cotada como vice na chapa tucana, movimento que faz parte da negociação entre os dois partidos para uma criar uma federação. 

Esse não foi o primeiro encontro entre os políticos. Na semana passada, após o Cidadania apresentar a senadora como uma opção para a Vice-Presidência, os dois se encontraram para discutir a composição de uma eventual chapa.

No evento desta segunda, entretanto, a publicidade e amplitude do encontro deu o tom da aproximação entre os possíveis candidatos. Eliziane participou de uma reunião com os secretários de Estado do governo paulista. Na frente de mais de 50 autoridades presentes, a senadora elogiou a condução do governo Doria durante a pandemia de covid-19 e destacou o papel fundamental do governador no avanço da vacinação no País.

“O Doria vai ser de Brasília e do Brasil. São Paulo precisa do senhor, mas o Brasil também precisa”, disse.

Eliziane ganhou destaque no cenário político nacional por causa de sua participação ativa na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, mesmo sem ser integrante formal. A parlamentar foi uma das lideranças que se movimentou na busca por mais mulheres no grupo. “Muitos parlamentares da base estão emocionalmente abalados”, disse ela ao Estadão na época. “Não queriam a voz das mulheres na CPI."

Atualmente, o Cidadania negocia federações com três partidos: PSDB, Podemos e PDT. Na última terça-feira, 1º, a executiva nacional da sigla se reuniu para indicar uma das três opções, mas a reunião terminou com a sigla rachada. Os 21 integrantes do grupo votaram cada possibilidade individualmente e nenhuma delas obteve maioria. O resultado favorável mais próximo se deu em relação ao PSDB: 10 a favor, 10 contra e uma abstenção, do ex-senador Cristovam Buarque, que é contra formar uma federação com qualquer que seja o partido pretendente. No caso do Podemos, o placar ficou em 11 votos contrários e 8 favoráveis e do PDT, em 11 contra e 8 a favor.

Em paralelo às negociações de federação, o Cidadania ainda mantém a pré-candidatura à Presidência da República do senador Alessandro Vieira (SE), classificado como "terceira via" na disputa eleitoral de 2022. Assim como Eliziane, o parlamentar ganhou notoriedade na CPI da Covid e obteve o aval do partido para concorrer ao cargo em setembro de 2021. Vieira defende um acordo da legenda com o Podemos do ex-juiz Sérgio Moro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.