Iris Rezende é reeleito com ampla vantagem em Goiânia

Prefeito do PMDB confirma favoritismo e obtém 74,16% dos votos, contra 15,75% de Sandes Júnior (PP)

Da Redação, estadao.com.br

05 de outubro de 2008 | 20h51

Confirmando seu favoritismo, o prefeito Iris Rezende (PMDB) se reelegeu com um ampla vitória em Goiânia neste domingo, 5. Ele obteve 74,16% dos votos válidos, enquanto o segundo lugar, Sandes Júnior (PP), conquistou 15,75%. Em terceiro lugar ficou Gilvane Felipe (PPS), com 5,2%.   Veja Também: Prefeito com ficha-suja vence em Goiânia Cobertura completa das eleições 2008  Especial: Perfil dos candidatos  Eu prometo: Veja as promessas de campanha dos candidatos  TSE registra 168 prisões e casos de 509 irregularidades  Imagens da votação pelo Brasil    Votos em branco somavam 15.287, enquanto os nulos eram 34.900. As abstenções contabilizavam 118.948. Para o Palácio do Planalto, o sucesso da coligação do PMDB com o PT na cidade transformou-se em exemplo de manual. Na disputa pela capital, o prefeito fez chapa com o petista Paulo Garcia, candidato a vice-prefeito.   "Eu tinha certeza da vitória", disse Iris. "Nos últimos dias, com as carreatas e comícios, disse que a minha expectativa fosse superior às pesquisas publicadas (71%)", comentou o ex-governador. "Porque senti nas ruas que as pesquisas não foram á periferia", afirmou ele, que durante a campanha enfrentou críticas por um processo de improbidade administrativa. A ação foi julgada improcedente em 1º grau. O Ministério Público recorreu da decisão e o processo foi remetido ao Tribunal de Justiça de Goiás.    Apoio do presidente   O presidente Luiz Inácio Lula da Silva mandou para Goiânia o chefe de gabinete da Presidência, Gilberto Carvalho. "Desde que o PT decidiu entrar na chapa, é evidente que o presidente manifesta apoio, além de um carinho particular pelo Iris, do qual sou testemunha", disse Carvalho à imprensa local. "É importante levar adiante a coligação com o PMDB no plano local e nacional", emendou.   A situação favorável da candidatura Iris demoveu Lula de subir no palanque do peemedebista. Para assessores do Planalto, o presidente precisa se concentrar nas campanhas onde o PT enfrenta disputas acirradas, como Natal e São Paulo.   Iris, antes de ser apoiado pelo Planalto e pelo PT, foi ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso e, na eleição municipal de 2004, derrotou o então prefeito Pedro Wilson, do PT.   Túlio Maravilha   O atacante Túlio Maravilha, atual artilheiro da Série B com 21 gols pela equipe do Vila Nova (GO), foi eleito vereador de Goiânia, pelo PMDB. Terceiro mais votado, com 8.407 votos com % das urnas apuradas, o jogador faz planos. "Estou feliz, com os meus gols o Vila vai para a Série A e com meus votos vou atuar na política", disse ele.   A frente de Túlio, os vereadores mais votados de Goiânia foram Bruno Peixoto (PMDB), com 2,03% dos votos, e Francisco Jr. (PMDB), com 1,81.   O jogador de 39 anos de idade, e autor de mais de 800 gols segundo os cálculos dele, já sonha alto: "Com certeza, vou pensar mais á frente em disputar a Câmara e quem sabe o Senado e até mesmo a Presidência da República."   A apuração dos votos para vereadores em Goiânia ainda não terminou. Problemas com 150 urnas antigas adiaram o processo que somente foi solucionado no final do dia.   Segundo a PM, 639 ocorrências foram registradas. 19 delas de compra de votos e 321 de ocorrências diversas enquanto 469 pessoas foram presas, segundo dados da Policia Militar. Num dos incidentes mais graves, ocorreu o furto de uma urna eletrônica, de madruga, em Goiânia. Mas, além de apreensão dos menores a urna foi recuperada e mais tarde substituída, informou o coronel Antonio Motta.     (Com Rubens Santos, de O Estado de S. Paulo)  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.