Investigação sobre acertos em licitação revela atuação até no Iraque

Documentos das investigações feitas na Alemanha e nos EUA sobre o envolvimentos da Siemens em possíveis acertos em licitações revelam que a gigante alemã pagou até contas do ex-presidente da Argentina Carlos Menem, de atuais políticos do país vizinho e mexicanos, além de funcionários públicos no governo da Venezuela.

Jamil Chade - O Estado de S.Paulo

12 de agosto de 2013 | 02h05

Segundo a investigação alemã à qual o Estado teve acesso, a Siemens fez "significativos pagamentos diretos e indiretos" por todo o planeta, "em troca de um tratamento diferenciado".

Foram US$ 31,2 milhões na Argentina. Entre 2001 e 2007, outros US$ 18,7 milhões a funcionários do governo Hugo Chávez. Entre 2000 e 2002, até o Iraque entrou na lista. No âmbito do programa da ONU Petróleo por Alimentos, o suborno a funcionários iraquianos teria chegado a US$ 1,7 milhão.

Tudo o que sabemos sobre:
Siemens

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.