Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Investidores reagem positivamente a acordo entre Alckmin e o Centrão

Dólar e juros futuros amanheceram em queda pelo segundo dia consecutivo após anúncio de apoio do bloco ao tucano

Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2018 | 10h48

Os investidores reagiram positivamente ao apoio do Centrão - bloco formado com DEM, PR, PP, PRP e Solidariedade - ao ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin (PSDB) nas eleições 2018, que ocasiona queda do dólar e dos juros futuros pelo segundo dia consecutivo nesta sexta-feira, 20. 

O acordo selado na quinta entre o tucano e as legendas do bloco traz alívio, segundo investidores, porque é um sinal de fortalecimento de uma candidatura considerada “reformista” pelos agentes financeiros, minimizando o risco eleitoral. A aliança do Centrão com o pré-candidato Ciro Gomes (PDT) era vista com certa desconfiança pelo mercado. A queda frente ao real está em linha também com a desvalorização do dólar no exterior.

A notícia do acerto eleitoral, divulgada pouco antes das 17h da quinta, já havia influenciado os negócios no fim da sessão do dia, levando o dólar a fechar em queda de 0,06%. Mas o otimismo segue dando o tom do mercado, e o dólar à vista já bateu as mínimas, com queda de 1,24%, aos R$ 3,7945.

A informação divulgada com exclusividade pelo Estadão/Bradocast Político de que que o PP comunicava os seus dirigentes a concretização do acordo trouxe otimismo aos mercados domésticos no fim da tarde da quinta, levando a Bolsa e o real a inverterem as perdas exibidas desde o começo do dia. Nos minutos finais da sessão, o Ibovespa migrou para o azul e fechou em alta de 0,16% e o dólar encerrou abaixo dos R$ 3,85, aos R$ 3,8423 (-0,06%). 

A oficialização do acordo político ocorrerá no dia 26. Alckmin, que na quinta já tinha conseguido apoio do PTB, é o presidenciável mais alinhado à demanda dos investidores. Ciro, por sua vez, tem rejeição no mercado financeiro. 

Às 9h32 desta sexta, o dólar à vista caía 0,97%, aos R$ 3,8050. O dólar futuro de agosto estava em queda de 0,66%, aos R$ 3,8095. 

 

Notícias relacionadas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.