Internet ajuda inquérito a andar mais rápido

Para suplantar um problema antigo - a montanha de papéis que abarrotam os cartórios das delegacias -, a Polícia Federal decidiu criar o inquérito eletrônico, por meio do qual todos os atos, inclusive depoimentos, serão digitalizados e acompanhados on line pelo Ministério Público e pela Justiça.

Fausto Macedo e Marcelo Godoy, O Estado de S.Paulo

09 de setembro de 2013 | 02h13

"Ganharemos tempo e economia", prevê Leandro Daiello, diretor-geral da Polícia Federal.

O projeto piloto será lançado até o final de setembro no município de Campina Grande (PB) por causa de uma parceria com a universidade local.

Mais conteúdo sobre:
Polícia federalcorrupção

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.