Tiago Queiroz
Tiago Queiroz

Indecisos cobram mais propostas no debate 

Levantamento feito durante encontro dos presidenciáveis mostra que 67% dos entrevistados continuam sem saber quem escolher nas urnas 

Paulo Beraldo, O Estado de S.Paulo

11 Setembro 2018 | 05h00

SÃO PAULO - Entre os eleitores indecisos que acompanharam o debate presidencial TV Gazeta/Estado/Rádio Jovem Pan/Twitter no domingo, 67% continuam sem saber que nome escolher nas urnas nas eleições 2018. O levantamento feito em parceria com a empresa Ideia Big Data e ouviu 1.053 telespectadores que se identificavam como “indecisos” antes do debate.

Pouco mais de um terço (33%) dos telespectadores que responderam o levantamento, por outro lado, disseram que o programa os ajudou a decidir em quem votar. A pesquisa foi realizada durante a exibição do debate.

A falta de informação sobre os candidatos e suas propostas e a desconfiança nos atuais presidenciáveis são os motivos mais citados pelos pesquisados como justificativa para ainda não terem decidido o voto. Os dois itens, somados, pesam para 61% dos entrevistados.

Para outros 12% ouvidos, faltam boas propostas e, para outros 6%, os candidatos que gostariam de avaliar não estavam presentes no debate – outros motivos foram citados por 20%. Dos 13 candidatos à Presidência registrados, participaram do debate Marina Silva (Rede), Ciro Gomes (PDT), Geraldo Alckmin (PSDB), Henrique Meirelles (MDB) e Guilherme Boulos (PSOL) e Alvaro Dias (Podemos).

Líder nas pesquisas no cenário sem o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), Jair Bolsonaro (PSL) não participou por estar hospitalizado após ter sido alvo de um ataque com uma faca em ato de campanha. Sem definição sobre a candidatura presidencial, o PT também não enviou representante.

Antes do debate, uma das perguntas abordava quais informações os eleitores mais esperavam dos candidatos no terceiro debate presidencial das eleições 2018. Propostas, projetos, soluções, educação, saúde e segurança foram as palavras mais citadas nas respostas. Sobre o que não esperavam dos candidatos, os eleitores ouvidos afirmaram que brigas, mentiras, promessas, acusações, ataques e ofensas eram algo que não gostariam de ver no debate.

Quando questionados sobre quais as características mais importantes que se espera em um candidato à Presidência, honestidade, sinceridade e boas propostas foram as qualidades mais desejadas. Transparência, firmeza e seriedade também foram termos bastante citados. As áreas tidas como prioritárias para os telespectadores são: segurança, educação, saúde e economia. Corrupção, violência e emprego também foram citados com frequência.

Os candidatos tidos como mais antipáticos pelos eleitores entrevistados foram Marina Silva, Guilherme Boulos, Ciro Gomes e Henrique Meirelles. Segundo a pesquisa, os candidatos que falaram com mais clareza no debate foram Ciro e Marina – ambos estão empatados com 12% das intenções de voto segundo a última pesquisa Ibope.

Audiência no Twitter chega a 870 mil pessoas

O debate entre os candidatos à Presidência gerou grande repercussão no Twitter. A transmissão teve 870 mil espectadores no perfil do Estado na rede social. Corrupção e segurança foram os temas mais comentados do encontro.

Os usuários puderam enviar perguntas para os candidatos por meio da hashtag #GazetaEstadaoJP, que chegou ao segundo lugar entre os trending topics mundiais do Twitter – que mede os assuntos mais comentados.

Até esta segunda-feira, 10, a hashtag havia contabilizado 80.542 menções. Ela continua valendo para o debate que será realizado neste domingo com os candidatos ao governo de São Paulo. / COLABOROU GABRIEL PINHEIRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.